Hoje na História: 1974 - Morre Samuel Goldwyn, pioneiro da indústria cinematográfica

Hoje na História: 1974 - Morre Samuel Goldwyn, pioneiro da indústria cinematográfica

Max Altman

Em 31 de janeiro de 1974, o pioneiro da indústria cinematográfica de Hollywood, Samuel Goldwyn, morre durante o sono, aos 91 anos, em sua mansão em Los Angeles.

Nascido Schmuel Gelbfisz em Varsóvia, Polônia, Goldwyn deixou o país aos 11 anos, viajando para a Inglaterra e mais tarde Nova York, onde trabalhou em uma fábrica de luvas. Ele ascendeu ao ponto de passar a ser sócio da empresa ao completar 25 anos.

Wikicommons

Da esquerda para a direita, Jesse L. Lasky, Adolph Zukor, Samuel
Goldwyn, Cecil B. DeMille, Al Kaufman


Com a chegada aos Estados Unidos, adotou o nome de Samuel Goldfish, o mais próximo que entendeu ser de seu nome judaico. Após se casar com Blanche Lasky, em 1910, associou-se anos depois com o cunhado, o produtor de espetáculos de vaudeville, Jesse Lasky. Juntos fundaram a Jesse Lasky Feature Play Company. A primeira produção da companhia, The Squaw Man (1914) foi o primeiro filme longa-metragem a ser produzido em Hollywood.

Goldwyn deixou a companhia logo após a fusão com a Famous Players Company, de Adolph Zukor em 1917, vendendo suas ações por cerca de meio milhão de dólares. Ele estabeleceu então um novo empreendimento com produtores da Broadway, os irmãos Edgar e Arch Selwyn, chamado Goldwyn Pictures Corporation, uma combinação de “Goldfish” e “Selwyn.” Gostou tanto desse nome que mudou legalmente seu sobrenome para Goldwyn.

Em seguida, a companhia uniu-se à Metro Pictures, formando a base para o que mais tarde se tornaria a Metro-Goldwyn-Mayer. Goldwyn, no entanto, deixou a companhia para se tornar um produtor cinematográfico independente.

Após se divorciar, Goldwyn se casou com a atriz Frances Howard, em 1925.  Em 1926, se juntou à United Artists, uma cooperativa de produção de filmes formada por Charles Chaplin, Douglas Fairbanks, Mary Pickford, entre outros, mas afastou-se após uma briga com a co-fundadora Pickford em 1939.

Leia mais:
1957: Estreia a West Side Story de Leonard Bernstein
1816: Estreia a ópera “O Barbeiro de Sevilha”, de Rossini
1953: Estreia a peça ''Esperando Godot'', de Samuel Beckett
1947 - 'Um Bonde Chamado Desejo' é encenada pela primeira vez

Produções

Devido à natureza exigente de Goldwyn e sua disposição de trabalhar apenas com os mais respeitados do ramo, seus filmes conquistaram uma reputação como alguns dos mais belos da indústria cinematográfica. Goldwyn era conhecido também por fazer inúmeras declarações pitorescas. Dois dos mais famosos exemplos, repetidos ao longo dos anos foram “Inclua-me fora disso” e “Quero lhe dizer em duas palavras: im-possível!”

Se destacaram na carreira de Goldwyn os filmes Fogo de Outono (1936); O Morro dos Ventos Uivantes (1939); Pérfida (1941) e Os Melhores Anos de Nossas Vidas (1946), com o qual Goldwyn ganhou seu primeiro Oscar de Melhor Filme além de outras seis estatuetas.

Em 1959, aos 78 anos, Goldwyn voltou de sua aposentadoria para produzir seu último filme, Porgy e Bess. Dez anos depois sofreu um severo acidente vascular cerebral que o deixou parcialmente paralisado. O New York Times publicou um obituário, considerando Goldwyn “uma lenda de Hollywood, um produtor cinematográfico cujos filmes, sempre criados com visão de grandiosidade, foram notáveis por suas características, gosto e qualidade.”


Outros fatos marcantes da data:
31/01/1943: Alemães se rendem em Stalingrado
31/01/1945: O soldado Eddie Slovak é executado por deserção
31/01/1807: François de Rivez, inventor suiço, deposita a patente de um motor à explosão


Siga o Opera Mundi no Twitter
Conheça nossa página no Facebook

Comentários