Chile: Manifestantes de outras cidades marcham até Santiago para se juntar a protestos

'Intenção desta marcha é tornar visível que essas regiões também estão descontentes com governo', disse manifestante

Cerca de 10 mil pessoas protestaram nesta quinta-feira (31/10) na cidade chilena de Concepción, enquanto outras 40 caminham 98km desde Limache até Santiago, capital do país, com o objetivo de ler uma declaração pública de todos os manifestantes em frente ao Palácio La Moneda, sede do governo.

Com o nome de "la Quinta a la Moneda", a marcha partiu a estação da estação do Metrô Limache na tarde desta quarta-feira (30/10) e se espera que cheguem nesta sexta-feira (01/11) à capital chilena para se juntar aos protestos massivos contra o governo de Piñera.

"A principal intenção desta marcha é tornar visível que essas regiões também estão presentes neste descontentamento nacional com as políticas públicas", afirmou Leonardo Martínez, um dos organizadores da mobilização rumo a Santiago.


FORTALEÇA O JORNALISMO INDEPENDENTE: ASSINE OPERA MUNDI


Um dos participantes, Eduardo Vidal, afirmou que durante os 98km percorridos se redigirá a declaração para ser lida na sede do governo em conjunto com outros manifestantes.

Além disso, Vidal disse que como parte da organização do protestos contra o governo de Piñera se realizarão mobilizações em vários pontos do percurso.

CUT Chile/Reprodução
'Intenção desta marcha é tornar visível que essas regiões também estão descontentes com governo', disse manifestante

Em Concepción, a manifestação iniciou na Plaza Independencia, no centro, e paralisou o tráfego na avedida O'Higgins rumo ao Palácio de Tribunais.

Os manifestantes montaram uma barricada em frente aos comércios em alguns pontos das avenidas O'Higgins e Tucapel, onde tropas de segurança agiram para reprimir.

Comentários

Leia Também