Enquanto isso, na Turquia: o protesto silencioso de homem só



No mesmo dia em que milhares de brasileiros saem às ruas em todo o país, o gesto solitário de um homem em pé se espalhou pela Praça Taksin

Felipe Amorim | Revista Samuel


Standing man: Praça Taksim, Turquia, segunda-feira, 17 de junho, 20h e 23h45

Apoie a imprensa independente e alternativa. Assine a Revista Samuel.

No mesmo dia em que o Brasil presenciou a maior onda de protestos no país em 21 anos, a muitos milhares de quilômetros do Congresso Nacional (DF), da Ponte Estaiada (SP) ou da Assembleia Legislativa (RJ), a Turquia viu um homem, de pé, sozinho e em silêncio, contagiar uma multidão. Diante de um retrato do líder Kemal Ataturk na Praça Taksim, epicentro do levante, em Instambul, Erdem Gunduz protestou à sua maneira por mais de oito horas na mesma posição. Antes de que fosse removido da praça pela polícia, seu gesto se espalhou entre os cerca de 300 manifestantes que logo o acompanharam e repetiram seu ato de silêncio.

Galeria de fotos: Flashes da Turquia e a criatividade dos protestos


Manifestantes turcos na Praça Taksim copiam protesto iniciado por Erdem Gunduz

Chamada de "homem de pé", a performance silenciosa fez as hashtags #standingman (em inglês) e #duranadam (em turco) se espalharam pelas redes sociais. Até a manhã desta terça-feira (18/6), não havia notícias de que Gunduz — identificado como um artista cênico — permanecia preso.

Acompanhe a Revista Samuel no Facebook e no Twitter.

No vídeo abaixo do jornal inglês The Guardian, veja a manifestação:

Leia também:
Os 198 métodos de não-violência
Vai à manifestação? Saiba qual vinagre faz o seu tipo
Charge do Latuff: a democracia paulistana
Passe livre impossível? Na ditadura, ligação da água foi socializada
Que tal aumentar o IPVA dos carrões em vez de subir o preço da tarifa?

 

 

 

 

Comentários