Os militares na Maré

A difícil e violenta rotina dos moradores do complexo de favelas

Carlos Latuff | Samuel

 

 

 Fotos Carlos Latuff

 

Desde o final de março desse ano, os moradores do complexo de favelas
da Maré, zona norte do Rio, tem sua rotina alterada por blindados,
paraquedistas e fuzileiros navais que patrulham as principais vias da
comunidade, visando a instalação de uma Unidade de Polícia
Pacificadora (UPP).

A despeito da presença dos militares (alguns com
câmeras de vídeo acopladas aos capacetes) o tráfico continua presente
na favela, só que não mais ostensivamente armado.

Ao fotografar a revista de dois rapazes numa motocicleta, fomos eu, o fotógrafo da
agência Imagens da Terra e morador da Maré, Naldinho Lourenço, e a
diretora do Sindicato dos Jornalistas RJ, Camila Marins,  abordados
por militares do exército que exigiam uma "autorização" do comando
para registrar a operação.
 

 

 

 

 

 

O cartunista e ativista Carlos Latuff é colaborador de Opera Mundi e revista Samuel. Seu trabalho, que já foi divulgado em diversos países, é conhecido por se dedicar a diversas causas políticas e sociais, tanto no Brasil quanto no exterior. Para encontrar outras charges do autor, clique

Comentários