Da cadeira erótica de uma imperatriz russa à origem dos filmes pornô: conheça 9 museus do sexo pelo mundo

EUA, Rússia, França, Holanda, Coreia do Sul e República Tcheca têm centros com obras picantes de arte erótica e exibições de artefatos sexuais históricos como os primeiros vibradores, criados em meados do século 19

Jill Hamilton | AlterNet

Museum of Sex / Facebook

Fachada do Museum of Sex em Nova York

Uma exposição em um Museu de História Natural oferece muitos prazeres, mas museus do sexo em todo o mundo podem proporcionar aos visitantes uma experiência completamente nova.

Obras picantes como um pula-pula gigante em forma de peitos (no Museum of Sex, em Nova York) ou exibições de brinquedos sexuais inseridos por nossos ancestrais em seus primitivos orifícios (encontrados em vários museus, já que nossos antepassados eram muito despudorados) atraem muitos visitantes e, por isso, vários museus do sexo estão surgindo no mundo todo.

Aqui está uma lista dos melhores museus do gênero no mundo, caso você esteja nas redondezas.

Museum of Sex, Nova York, EUA

Desde 2002, o MoSex vem promovendo uma pequena revolução no mundo da educação sexual, da história do sexo e da arte erótica. No momento, a instituição apresenta a mostra Funland, uma instalação artística da dupla de artistas conceituais Bompas & Parr, que conta com atrações dignas de parques de diversões. A exposição é recreativa e oferece diversão para adultos como um pula-pula em forma de peitos (você realmente pode pular nele), a “Grope Mountain” (algo como "Montanha da Apalpação", uma parede de escalada composta de partes do corpo humano) e uma sala de espelhos que leva até uma "gruta" que representa o ponto G das mulheres. Uma vez dentro da gruta, você pode tocar um teremim, instrumento eletrônico controlado pelo movimento das mãos, o que torna a coisa toda ainda mais genial.

Sex Machines Museum, Praga, República Tcheca

O “Museu das Máquinas Sexuais” é pequeno, mas tem cerca de duzentas engenhocas que mostram como os seres humanos não querem se virar sozinhos quando a questão é sexo. Você pode ver aparelhos feitos para tornar o sexo melhor ou, pelo menos, mais interessante, como uma espécie de penico dos anos 1880 com um espelho acoplado ou uma cadeira com buracos estratégicos para facilitar a prática do sexo oral. Também há dispositivos que visam a completa abstinência sexual, como um cinto de castidade alemão de 1580 e um aparelho elétrico antimasturbação de 1915 (que, como você sabe, acabou completamente com esse flagelo mundial que é a masturbação, para sempre – risos). Se você precisar de uma pausa para reequilibrar o humor, pode ir até o cinema do museu e assistir a um filme pornô espanhol de 1920, um dos primeiros a serem filmados.

Cadeira com penas acariciantes / MusErosMusEros, São Petersburgo, Rússia

"Descubra tudo sobre aquilo de que ninguém fala!", diz o site do MusEros, em referência à propensão soviética à discrição em, bom, basicamente tudo. Na Sala Histórica há uma cadeira sexual especial supostamente usada por Catarina, a Grande, imperatriz russa do século 18. A Sala Moderna exibe toda a genialidade humana em equipamentos como uma gangorra adornada com pênis de borracha estrategicamente posicionados, uma cadeira equipada com uma roda móvel coberta de penas maliciosamente posicionadas, e uma vitrine de bonecos infláveis que incluem homens, mulheres e ovelhas.

Erotic Heritage Museum, Las Vegas, EUA

O recentemente reaberto Museu do Patrimônio Erótico cumpre com o que se espera de qualquer espetáculo de Las Vegas, com mostras que vão da cenografia usada em uma paródia pornográfica de Guerra nas Estrelas até um abrangente infográfico com todas as cenas de sexo da série Game of Thrones. O museu possui artefatos históricos, como estatuetas chinesas do século 18 e pôsteres vintage, além de peças de gosto duvidoso como um pênis feito de “pennies”, moedas de um centavo de dólar. Você também pode obter entradas para o “Puppetry of the Penis”, o “teatro de fantoche dos pênis”, que você terá de conferir por você mesma.

Sylvain Sonnet / Musee de l'Erotisme

Musee Erotism, Paris, França

O Museu do Erotismo tem como base a enorme coleção de arte erótica de Alain Plumey e Jo Khalifa, reunida ao longo de 30 anos. Sua devoção resultou em sete andares com mais de 2.000 peças, incluindo ídolos de fertilidade astecas, entalhes extraídos de templos nepaleses e algumas combinações japonesas de dildos com sapatos de madeira que parecem inadequadas para ambos os propósitos. No momento, há uma exibição sobre a história dos bordéis do fim do século 19 até 1946, uma coleção de filmes eróticos mudos recém-restaurados, gravados na França entre 1905 e 1930, que eram usados para "esquentar" os visitantes dos famosos bordéis parisienses.

World Erotic Art Museum, Miami, EUA

O Museu da Arte Erótica Mundial foi criado por Naomi Wilzig, uma colecionadora de arte erótica, e conta com 4.000 obras, de 300 a.C. até os dias atuais. É uma mistura de alta e baixa cultura, com livros japoneses de shunga (arte erótica oferecida como presentes a noivas em sua noite de casamento) e desenhos eróticos de artistas aclamados, incluindo Rembrandt, Picasso e Klimt, coexistindo pacificamente com muito kitsch, como uma cama com dossel sustentado por colunas que são, obviamente, quatro pênis. Os visitantes também podem passar pela feira de produtos de segunda mão como revistas de histórias em quadrinhos mexicanas com temática sexual dos anos 70 e 80, à venda por cerca de 5 dólares, bem como uma coleção de cartões postais eróticos.

Venustempel/Sexmuseum, Amsterdã, Holanda

O Sexmuseum de Amsterdã é o mais antigo museu do sexo em funcionamento, tendo aberto suas portas em 1985, com uma pequena amostragem de objetos eróticos do sexo 19. Desde então, ele se expandiu e passou a ocupar três andares de objetos relacionados ao sexo, incluindo artefatos para fetiche e peças históricas como um cinto de castidade do século 16. A entrada é barata e você reconhecerá o local pelo pênis de bronze gigante na entrada, um irresistível local de parada para fotografia.

Jeju Loveland, Coreia do Sul

Jeju Loveland se apresenta como um parque temático sexual, mas ele está mais para um jardim de esculturas eróticas, com mais de 140 peças que vão muito além da típica "postura de estátua". Loveland está localizada em um popular destino de casais, a ilha coreana de Jeju, e foi criada para ajudar os recém-casados a deixar de lado suas inibições, caminhando por entre estátuas em diferentes posições insinuantes e por um adorável jardim de pênis. Também há um Museu do Sexo e da Saúde no local, com uma mistura de filmes de educação sexual, novidades como um "circuito sexual" e modelos anatômicos do corpo humano, ao lado de outras peças, menos anatomicamente corretas, como pênis alados. Também há, é claro, um pênis normal, conforme sói ser encontrado no seu devido lugar.

Antique Vibrator MuseumAntique Vibrator Museum, São Francisco, EUA

"Sua tataravó talvez tenha tido um vibrador", observa o site do Museu do Vibrador. Organizado pela cultuada sex shop Good Vibrations, o lugar oferece a fascinante história dos vibradores desenvolvidos para aliviar o “problema da histeria” e da publicidade em torno dos benefícios das boas vibrações, sem dizer exatamente onde o equipamento deveria ser inserido: "Pode ser usado por você mesma na privacidade de seu quarto, e fornece a toda mulher a essência da perpétua juventude..."

Alguns dos destaques são um vibrador pneumático Detwiller, de 1906, que funcionava à base de gás comprimido, bem como um Disco Rotátil Mágico, cuja caixa demonstra a utilização possível também em áreas não genitais, como os pés, as costas e, curiosamente, o antebraço.  Também há o Circulador Sanguíneo Pulsocon do Dr. Macaura, um dispositivo da virada do século operado por manivela que nunca conseguiu conquistar o mercado. O site da loja Good Vibrations também oferece uma turnê virtual sobre vibradores, começando com alguns particularmente assustadores do período entre 1869 e 1920.

 

Tradução: Henrique Mendes

Matéria original publicada no site Alternet.

Comentários