Comitiva de Bolsonaro aos EUA tem 17 infectados por coronavírus

Nesta quarta-feira (18/03), os ministros do GSI, Augusto Heleno, e de Minas e Energia, Bento Albuquerque, tiveram resultado positivo no exame de coronavírus

O mais novo caso confirmado de coronavírus no Brasil é o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque. O anúncio foi feito na tarde desta quarta-feira (18/03) pelo presidente Jair Bolsonaro, durante uma entrevista coletiva.

Na manhã desta quarta-feira, o general da reserva Augusto Heleno, ministro do Gabinete da Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República apresentou resultado positivo para o novo coronavírus em teste realizado no Hospital das Forças Armadas. A informação foi divulgada no perfil pessoal de Heleno no Twitter. 

"Informo que o resultado do meu segundo exame, realizado no HFA, acusou positivo. Aguardo a contraprova da FioCruz. Estou sem febre e não apresento qualquer dos sintomas relacionados ao COVID-19. Estou isolado, em casa, e não atenderei telefonemas", postou.

Com a confirmação dos casos já são 17 integrantes da comitiva brasileira que acompanhou Bolsonaro aos EUA diagnosticados com covid-19. Outros quatro integantes do GSI, cujos nomes não foram revelados, também foram diagnosticados com o novo coronavírus. 

Saiba quem contraiu coronavírus na comitiva presidencial aos EUA

O secretário de Comunicação da Presidência da República, Fabio Wajngarten, foi o primeiro caso positivo para o coronavírus confirmado logo após o retorno da viagem com a comitiva presidencial que acompanhou Jair Bolsonaro em viagem à Flórida entre os dias 7 e 10 de março. O secretário-adjunto de Comunicação, Samy Liberman, também foi diagnosticado com a doença.

Na última sexta-feira (13/03), o indicado para ser embaixador brasileiro em Washington, Nestor Foster, também apresentou resultado positivo para o novo coronavírus. Foster foi um dos convidados que sentou à mesa com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, durante encontro com Bolsonaro em Mar-a-Lago no último dia 7. O chefe do cerimonial do Itamaraty, Alan Coelho de Séllos, também apresentou diagnóstico positivo.

TV Brasil/Reprodução
Até o momento, 17 integrantes da comitiva brasileira que acompanhou Bolsonaro em viagem aos EUA estão infectados

Nesta terça-feira (17/03) , Marcos Troyjo, secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia, confirmou que também está com a  doença.

Além dos representantes do governo, também testaram positivo para o novo coronavírus o senador Nelsinho Trad (PSD-MS), o deputado federal Daniel Freitas (PSL-SC), a advogada Karina Kufa, o publicitário Sérgio Lima; o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade e  o  presidente da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), Flávio Roscoe. O prefeito de Miami, Francis Suarez, que se encontrou com a comitiva brasileira também foi diagnosticado com covid-19.

Nota do Planalto

Após o presidente presidente Jair Bolsonaro participar de manifestação em Brasília no domingo (15/03), contrariando as recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS), e dar declarações caracterizando a pandemia de coronavírus como histeria, o Palácio do Planalto divulgou uma nota na manhã desta quarta-feira (18/03), dizendo que não houve risco de Bolsonaro passar coronavírus para outras pessoas. 

Com vários casos de diagnóstico positivo para a doença em sua comitiva, o presidente estava em período de quarentena e aguardava resultado de novo exame no dia da manifestação.

Segundo informações do Planalto, o segundo teste realizado pelo presidente apresentou resultado negativo. "O recente exame atesta o resultado negativo anterior, realizado na última quinta-feira (12/03), comprovando que inexistiu perigo de contágio para aqueles que tiveram contato com o Presidente da República nos últimos dias", diz a nota. 

 

Comentários