Igreja nos EUA paga U$27 milhões a vítimas de abusos sexuais

Valor foi recorde na história de escândalos da Igreja Católica; quatro vítimas foram molestadas por professor de religião, Angelo Serrano, de 67 anos, preso desde 2011

Redação

ANSA ANSATodos os posts do autor

A diocese de Brooklyn, nos Estados Unidos, pagará a quatro vítimas de abusos sexuais U$ 27,5 milhões, informou a instituição nesta terça-feira (18/09). O ressarcimento é um dos maiores na história dos escândalos de pedofilia por parte de membros da Igreja Católica.

O acordo extrajudicial foi alcançado duas semanas depois do anúncio de um pedido do procurador-geral de Nova York sobre molestamentos sexuais de padres e eventuais omissões. As quatro vítimas em questão foram molestadas por Angelo Serrano, de 67 anos, um professor de religião na paróquia St.Lucy's-St. Patrick, em Clinton Hill, bairro no Brooklyn.

"É um ressarcimento enorme, indicativo da gravidade do abuso e da pressão sob a qual se encontra a Igreja Católica nesse momento", afirmou Terry McKiernan, presidente da organização BishopAccountability.org, que documenta casos de abuso por parte do clero.

Os meninos, que hoje têm entre 19 e 21 anos, pediram anonimato e foram violentados entre 2003 e 2009, quando tinham entre 8 e 12 anos. Os abusos aconteciam dentro da igreja e no apartamento de Serrano, escreveram em nota os advogados das vítimas.

Serrano, que recebia salário da Igreja, foi preso em 2009. Em 2011, ele se declarou culpado de molestamento de 1º grau e está cumprindo uma pena de 15 anos em cárcere.

Comentários