Mistério de mortes em hotel intriga Alemanha

Três pessoas foram encontradas mortas por flechas disparadas por uma besta; polícia avalia hipótese de homicídio duplo seguido de suicídio e confirmam outras duas mortes relacionadas ao caso

Redação

Bonn (Alemanha)

Deutsche Welle Deutsche Welle

Uma série de mortes causadas por ferimentos de besta, uma arma medieval, vêm atraindo a atenção do público alemão nos últimos dias.

Das cinco pessoas encontradas mortas, três eram aficionados no folclore e em armas da Idade Média. Uma autópsia sugere que os mortos, encontrados num quarto de hotel em Passau, teriam participado de um pacto de assassinato e suicídio.

A polícia investigava as misteriosas mortes inicialmente como um possível homicídio triplo, mas foi constatado que não havia sinais de luta ou do envolvimento de outras pessoas no quarto de hotel.

A autópsia revelou que duas das vítimas, identificadas como Torsten W., de 53 anos, e Kerstin E., de 33, foram encontradas deitadas na cama de mãos dadas. Ambos morreram com flechas disparadas por uma besta no coração e na cabeça. Seus testamentos foram encontrados no local.

Outra mulher, Farina C. de 30 anos, estava no chão com uma única flecha atravessada em sua garganta. A promotoria local afirma que lida com a hipótese de assassinato assistido seguido de suicídio. Farina teria matado o casal para depois tirar sua própria vida.

O tabloide alemão Bild relatou que os mortos no hotel de Passau compartilhavam uma fascinação por temas da Idade Média, como os torneios de cavalaria, armas medievais e alquimia.

Os três chegaram ao hotel Zur Triftsperre, próximo à fronteira com a Áustria, na sexta-feira à noite. Farina C. teria pago antecipadamente 300 euros por três noites, sem café da manhã. Segundo relatos, as duas mulheres vestiam roupas pretas. O grupo não carregava nenhuma bagagem.

Após se registrarem, eles voltaram ao estacionamento para buscar no carro que utilizaram as malas com a bestas, que foram encontradas mais tarde no quarto, uma delas, ainda guardada na bolsa.

Segundo o Bild, Torsten W. era há cinco meses o proprietário de uma loja chamada Milites Conductius, que comercializava espadas de estilo medieval, machados, facas, bandeiras e trajes de época, além de hidromel, uma bebida alcoólica feita com mel e água. A loja também oferecia aulas de luta de espadas à noite.

Farina C. era gerente de vendas de uma padaria e nutria uma "paixão pela comunidade da Idade Média, pela agitação dos mercados medievais com seus malabaristas e torneios de cavalaria", segundo o diário Merkur, de Munique.

Após a descoberta no último sábado dos três cadáveres, o espanto dos alemães aumentou ainda mais com a descoberta de duas mulheres mortas no apartamento de Farina C. na cidade de Wittingen, a 650 quilômetros do hotel em Passau. As duas vítimas eram mulheres com idades em torno dos 30 anos.

A maioria dos órgãos de imprensa da Alemanha diz que uma das vítimas seria a parceira de Farina, enquanto o Merkur afirma que se tratava de sua irmã. Segundo a polícia, as mortes não resultaram de ferimentos de flechas.

As leis alemãs restringem a posse de armas de fogo, mas artefatos como arco e flecha e similares são permitidos como equipamento esportivo. Qualquer pessoa com mais de 18 anos pode adquirir uma besta.

RC/afp/ap/dpa

picture-alliance/dpa/L. Mirgeler
Hotel próximo a Passau onde foram encontrados três mortos por ferimentos de flecha

Comentários