Polícia nigeriana resgata mulheres de 'fábrica de bebês'

Vítimas tinham entre 15 e 28 anos e foram atraídas para Lagos com promessas de trabalho, mas acabaram presas e engravidadas por traficantes que planejavam vender bebês

Redação

Deutsche Welle Deutsche Welle

Bonn (Alemanha)

A polícia nigeriana resgatou 19 mulheres e adolescentes que haviam sido raptadas e engravidadas por traficantes de humanos que planejavam vender os bebês. As vítimas tinham entre 15 e 28 anos e foram atraídas para Lagos, a maior cidade do país, com promessas de trabalho.

"As mulheres foram sequestradas pelos suspeitos com o propósito de engravidá-las e, posteriormente, vender os bebês a compradores potenciais. Elas foram enganadas com propostas de empregos, como o de domésticas, em Lagos", afirmou o porta-voz da polícia local, Bala Elkana, nesta segunda-feira (01/10).

Segundo Elkana, os bebês do sexo masculino eram vendidos por 1.630 dólares (aproximadamente 6.780 reais) e os do sexo feminino por 980 dólares (aproximadamente 4.075 reais). Além das mulheres e adolescentes, quatro bebês foram resgatados no local.

As vítimas eram de cidades do sul e leste da Nigéria. De acordo com Elkana, as mulheres foram resgatadas em 19 de setembro, porém, o caso foi mantido em sigilo até que a polícia prendesse os suspeitos. Duas mulheres de 40 e 54 anos foram detidas em conexão com o caso e um terceiro suspeito está sendo procurado.

Reuters TV
Mulheres resgatadas estão grávidas

Uma das vítimas disse a uma emissora de televisão local que as mulheres foram completamente isoladas do mundo.

As "fábricas de bebês", como essas instalações são conhecidas, são comuns em diversas partes da Nigéria, o país que tem uma das maiores economias da África, mas que, ao mesmo tempo, possui a maior quantidade de pessoas vivendo em extrema pobreza no mundo.

Em 2012, a Comissão Europeia descreveu a Nigéria num relatório com o país da África onde tráfico de crianças era o mais generalizado. Segundo a ONU, o tráfico de seres humanos é o terceiro crime mais comum no mundo, depois da corrupção e tráfico de drogas.

Na semana passada, cerca de 400 homens e meninos, alguns com apenas cinco anos, foram resgatados de uma suposta escola islâmica na cidade de Kaduna, no norte da Nigéria. Muitos deles estariam sendo torturados e abusados sexualmente, e cerca de 100 foram encontrados acorrentados.

Comentários