México: ao menos 175 menores foram abusados sexualmente por 33 padres católicos

Crimes relatados teriam sido cometidos por membros da congregação Legionários de Cristo entre o ano de sua fundação, 1941, e 2019

Ao menos 175 menores de idade foram vítimas de abusos sexuais cometidos por 33 religiosos dos Legionários de Cristo no México, de acordo com um relatório interno da congregação católica divulgado no sábado (21/12).

Os crimes relatados teriam sido cometidos por membros da congregação Legionários de Cristo entre o ano de sua fundação, 1941, e 2019.

O padre mexicano Marcial Maciel, fundador da congregação morto em 2008, teria cometido 60 dos abusos relatados no relatório elaborado pela "Comissão de casos de abuso infantil do passado e atenção às pessoas envolvidas".

O relatório foi publicado após o papa Francisco acabar com o segredo pontifício para as denúncias de abuso sexual, um pedido das vítimas para garantir maior transparência sobre a investigação dos crimes.

"A maioria das vítimas eram crianças adolescentes com entre 11 e 16 anos", detalha o relatório.

Padre Marçal Marciel teria cometido mais de 60 abusosO relatório indica que 18 dos 33 padres que cometeram abusos ainda fazem parte da congregação, mas estão afastados de atividades públicas ou que envolvam contato com menores.

Dentre os padres acusados de abusos, 14 também foram vítimas de abuso no interior da congregação, o que evidencia a existência de "cadeias de abuso", quando "a vítima de um legionário, com o passar dos anos, se tornou agressor".

Para o padre Eduardo Robles-Gil, superior geral dos Legionários de Cristo, a comissão que trabalha desde junho não foi “capaz de descobrir todos os casos".

Comentários