OS ANOS MERKEL 

Relembre momentos marcantes dos 16 anos de Angela Merkel no poder

Angela Dorothea Merkel ficou mais de uma década e meia no poder na Alemanha. Para o bem ou para o mal, mudou a política como a conhecemos hoje. A história dela começa na antiga Alemanha Oriental.

Merkel nasceu em Hamburgo em 1954, mas se mudou ainda criança com os pais para a Alemanha Oriental. Formou-se em física na então Universidade Karl-Marx - hoje, a Universidade de Leipzig.

Esta é Merkel em 1990, como porta-voz do primeiro governo eleito na Alemanha Oriental após a queda do Muro de Berlim.

Após a Reunificação Alemã, virou ministra para as Mulheres e para Juventude no 1º governo Helmut Kohl; depois, tornou-se ministra do Meio Ambiente.

Em 2005, após seu partido, a CDU, vencer a eleição por pouco, virou chanceler da Alemanha - nome dado ao cargo de primeiro-ministro no país.

O 1º governo Merkel foi marcado pela crise de 2008. Sob críticas, ela injetou dinheiro na indústria automobilística do país ao dar dinheiro para que motoristas trocassem seus carros.

Em 2009, a CDU venceu a eleição de novo (dessa
vez, com mais folga) e Merkel começou seu segundo mandato.

Nesta época, ela confirmou a fama de seguir o vento da opinião pública. O acidente de Fukushima tornou as usinas nucleares impopulares na Alemanha - Merkel, antes defensora, suspendeu novos projetos.

Em 2013, nova eleição. Merkel é confirmada no cargo mais uma vez e inicia seu mandato mais turbulento - com direito a problemas na zona do euro e uma crise de refugiados.

Des Byrne/Flickr

A 1ª crise foi a da Grécia, que, por pouco, não saiu do euro. Merkel foi uma das responsáveis por fazer Atenas aceitar um duro pacote de austeridade - mesmo após um referendo contra.

No mesmo ano, começou a crise de refugiados na Europa. Merkel ficou famosa com sua frase 'nós vamos conseguir' ao decidir que acolheria boa parte dos que chegavam. A atitude gerou problemas na UE.

A relação
era bastante tensa.

Em 2017, Merkel foi eleita para um quarto mandato. A imprensa alemã diz que ela já queria se aposentar, mas mudou de ideia com a vitória de Trump nos EUA. 

Em 2019, Merkel anunciou que não iria concorrer a um novo mandato. Por pouco, seu partido, a CDU, já não tinha perdido a eleição de 2017.

O último mandato da chanceler foi marcado pela pandemia de covid-19. Merkel foi elogiada pelo pulso firme nas medidas contra o vírus, mas o país ainda enfrenta desafios na área.

Texto e desenvolvimento:
Rafael Targino

Fotos:
Wikimedia Commons/ Bundesarchiv/Flickr/White House/Arquivo pessoal
 da chanceler

Voltar para Opera Mundi