Deltan desiste de comparecer à Câmara para depor sobre Vaza Jato

Objetivo da reunião seria debater as reportagens do Intercept Brasil que noticiaram mensagens trocadas entre Deltan, o então juiz Sérgio Moro e outros integrantes da Lava Jato

Em ofício encaminhado à Câmara dos Deputados nesta segunda-feira (08/07), o procurador da Lava-Jato, Deltan Dallagnol, avisou os parlamentares que desistiu de participar de audiência no parlamento sobre as mensagens vazadas de seu aplicativo Telegram. Na audiência semana passada, o ex-juiz e atual ministro da Justiça Sérgio Moro deixou a Casa sob os gritos de “juiz ladrão” e a comissão teve que ser encerrada às pressas.

“Diante disso, muito embora tenha sincero respeito e profundo apreço pelo papel do Congresso Nacional nos debates de natureza política que realiza e agradeça o convite para neles participar, acredito ser importante concentrar na esfera técnica minhas manifestações sobre mensagens de origem criminosa, cuja veracidade e autenticidade não reconhecemos, e que vêm sendo usadas para atacar a Operação Lava Jato”, diz trecho da carta assinada pelo procurador.

Pedro de Oliveira/ALEP
Deltan desistiu de ir à Câmara falar sobre Vaza Jato

O objetivo da reunião seria debater as reportagens do Intercept Brasil que noticiaram mensagens trocadas entre Deltan, o então juiz Sérgio Moro (atual ministro da Justiça e da Segurança Pública) e outros integrantes da Lava Jato. Os textos do site levantam a suspeita de que Moro teria atuado com parcialidade em decisões relacionadas à operação.

Deltan era esperado nesta terça-feira (09/07) na Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados. Diante da recusa parlamentares articulam novo pedido de informações ao procurador.

Comentários