A IMPRESSIONISTA GERMAINE DULAC EM 4 FILMES

A francesa Germaine
Dulac (1882-1942) foi realizadora, roteirista, produtora e crítica de cinema, tendo dirigido
"A Concha e o Clérigo" (1928), um dos
primeiros filmes
surrealistas da história.

Apesar de “Um Cão Andaluz” (1929), de Luis Buñuel, ser creditado como o 1º filme surrealista da história, parte da crítica cinematográfica entende que o título pertence à Dulac.


Pouco reconhecida, Dulac fez
mais de 30 filmes que
são essenciais para compreender a vida da mulher francesa entre
os séculos XIX e XX, marcando o cinema experimental do período.

Entre o documental,
o impressionista e
o surrealista, Dulac contribuiu para o início do cinema francês.

A seguir, conheça quatro filmes da diretora:

Opera Mundi

Faça uma assinatura solidária de

ASSINE AQUI

O Cigarro (1919)

 Ao pensar que sua esposa está perdendo o encanto por ele, o diretor de um museu de Paris guarda um cigarro envenenado para escolher a hora de sua própria morte.

A Sorridente
Madame Beudet (1923)

 Presa em um casamento sem amor, Madame Beudet carrega a arma
 que o esposo usava para
brincar de roleta russa com objetivo de se livrar dele.

Um Convite
à Viagem (1927)

Cansada de ser ignorada pelo marido, uma jovem francesa vai até uma boate com temática marítima frequentada por marinheiros. 

A Concha e o Clérigo (1928)

Um padre alienado de suas emoções e do convívio social passa a desejar a esposa de um general.

Desenvolvimento e
texto original:
Paola Orlovas

Fotos:
Wikimedia Commons e Divulgação

Voltar a Opera Mundi