OLGA BENÁRIO: RESISTÊNCIA E LIDERANÇA

Nascida em Munique, Alemanha, em 1908, no seio de uma família classe média judia, Olga Benário se torna uma das principais lideranças comunistas do Brasil no século XX.

A revolucionária alemã começa sua militância aos 15 anos, quando filia-se ao Grupo Schwabing, uma divisão da então proibida Juventude Comunista de Munique. 

À medida que lê os clássicos do marxismo e colabora com o Schwabing, Benário vai desenvolvendo firmeza ideológica.

A jovem se interessava por manuais de estratégia militar, depoimentos de grandes generais e relatos de importantes batalhas históricas.

Já adulta, Olga se torna secretária de Agitação e Propaganda do Partido Comunista Alemão.

Cinco anos depois, vivendo em Moscou, frequenta cursos da Internacional Comunista.

Em 1934, Benário assume a tarefa de fazer a segurança pessoal de Luís Carlos Prestes, que tinha a missão de trazer a revolução socialista ao Brasil.

 Na ocasião, eles assumem um casamento de fachada, que, com o tempo, se tornaria real.

Faça uma assinatura solidária de 

Opera Mundi

ASSINE AQUI

A revolta comunista não vigora e o casal passa a viver na clandestinidade. Em 1936, Benário estava grávida quando ambos são detidos e levados para a sede da Polícia Central no Rio de Janeiro.

Olga, com sete meses de gestação de sua filha, é presa e deportada à Alemanha nazista.

Em 1936, Anita Leocádia Prestes nasce dentro de uma prisão feminina de Berlim.

Em março de 1938, Olga é separada de Anita e levada para um campo temporário em Lichtenberg. No ano seguinte, ela é transferida para Ravensbrück.

Aos 34 anos, no dia 23 de abril de 1942, Olga é executada em uma câmara de gás dentro do campo de concentração.

Lutei pelo justo e pelo melhor do mundo. Não terão porque se envergonhar de mim. [...] preparar-me para a morte não significa que me renda, mas sim saber fazer-lhe frente quando ela chegue

Desenvolvimento: Duda Blumer

Texto Original: Fernando Morais, biógrafo de Olga Benário

Fotos: Flickr, Pixabay, Wikicommons e ilustração de Fernando Carvall

Voltar para Opera Mundi