QUEM SÃO OS CINCO REDIMIDOS DO CENTRAL PARK?

Kevin Richardson, Yousef Salaam, Raymond Santana, Antron McCray e Korey Wise foram injustamente condenados pelo crime conhecido como “O caso da corredora do Central Park”.


Em 19 de abril de 1989, Patricia Meili é brutalmente agredida e estuprada quando corre pelo Central Park, em Nova Iorque, nos Estados Unidos.

Na mesma noite, os cinco adolescentes, negros e latinos, andam pelas proximidades do parque, bairro de suas casas. 

De forma agressiva, e sem provas, Yousef, Kevin e Raymond são levados para a delegacia como possíveis atores do crime.

No outro dia, a polícia já tem suspeitos, incluindo Antron McCray, que foi convocado para prestar depoimento.

Korey Wise estava com o amigo e não tem seu nome na lista, mas também é encaminhado.

Após quase 30 horas de interrogatórios violentos, sem a presença de seus responsáveis ou advogados,  a polícia passa a coagir os garotos a uma confissão.

Separadamente, os oficiais afirmam que se cada um acusar o colega pelo crime, de forma gravada e escrita, conseguiriam liberdade. 

Ludibriados pela ideia, os garotos incriminam um ao outro. 

Em poucas horas, todo os Estados Unidos já conhecem os “cinco do Central Park”.

Com as notícias espalhadas, a imprensa constrói a imagem de culpa sobre Kevin, Yousef, Raymond, Antron e Korey.


Jornais referem-se aos adolescentes como “estupradores”, “matilha de lobos” e “selvagens”.

Donald Trump, empresário na época, publica uma série de anúncios pedindo pena de morte a estupradores.

No julgamento, nenhuma prova aponta a autoria de qualquer um dos cinco no estupro e agressão de Patricia Meili, que, após se recuperar do coma, não tem lembranças do ocorrido e de seu agressor.

Opera Mundi

Faça uma assinatura solidária de

ASSINE AQUI

Porém, as promotoras Linda Fairstein e Elizabeth Lederer, ignoram as evidências.

Eles são sentenciados a sete anos no cárcere. E pela repercussão do caso, são severamente punidos dentro das prisões.

Por ter 16 anos, Korey Wise é submetido a cumprir pena em prisões de adulto, onde é vítima de diversas agressões e longos confinamentos solitário.

Após anos cumprindo as sentenças de um crime que não cometeram, os “cinco do Central Park” conseguem suas liberdades condicionais.

Korey Wise, que se recusava a confessar que havia cometido o crime, é libertado apenas em 2002, quando o verdadeiro agressor, Matias Reyes, assume a responsabilidade pelo caso.

Com a confissão, os “cinco do Central Park” tornam-se os “cinco redimidos”.

Mesmo vivendo traumas pelos anos perdidos de suas juventudes, Kevin, Yousef, Raymond, Antron e Korey não enfraquecem suas lutas.

Atualmente, escrevem sobre suas histórias, são ativistas pela igualdade racial e lutam pela reforma do sistema judiciário norte-americano.

Desenvolvimento:
 Duda Blumer

Texto Original:
 Duda Blumer

Fotos: Flickr, Reprodução/Instagram Kevin Richardson, Yousef Salaam, Raymond Santana, Antron McCray e Korey Wise, Unsplash, Wikicommons

Voltar para Opera Mundi