Líder das FARC recebe alta após AVC e viaja a Cuba para tratamento médico

Rodrigo 'Timochenko' Londoño sofreu AVC leve no domingo e continuará tratamento em Cuba, que sediou diálogos de paz entre guerrilha e governo colombiano e assumirá suas despesas médicas e de segurança

O principal líder das FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), Rodrigo Londoño, conhecido como Timochenko, recebeu nesta terça-feira (04/07) alta do hospital no qual foi internado no domingo (02/07) após sofrer um AVC (acidente vascular cerebral) leve e viajará a Cuba para continuar recebendo atenção médica.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

"Londoño completou 56 horas de hospitalização na nossa unidade, com franca melhoria, recuperando a força no seu braço esquerdo e sua fala em 90%", indicou em comunicado a Corporação Clínica Universidade Cooperativa de Villavicencio.

O Escritório do Alto Comissariado para a Paz na Colômbia informou no Twitter que autorizou o líder das FARC a viajar para Cuba, que assumirá as despesas médicas e de segurança de Londoño.

"Considerando a satisfatória evolução de Londoño, decidimos que ele deveria receber alta para continuar a gestão ambulatória de reabilitação", indicou o boletim médico da clínica. 

Reprodução / Twitter @IvanMarquezFARC

Rodrigo Londoño, ainda no hospital, com Iván Márquez, chefe da delegação de paz das FARC (04/07)

Ex-senadora Piedad Córdoba anuncia candidatura à Presidência da Colômbia em 2018

'Cuba não negociará princípios nem aceitará condicionamentos', diz chanceler de Havana sobre Trump

'Adeus à guerra, adeus às armas; bem-vinda, paz': FARC celebram desarmamento na Colômbia

 

O próprio Londoño escreveu no Twitter que está conseguindo levantar da cama e caminhar com ajuda, mas que se sente melhor. A mensagem foi acompanhada de uma foto na qual aparece sorrindo.

"Voltamos para continuar lutando pela paz e para que o acordo se cumpra. Agradeço a todos e a todas pelas boas vibrações", disse.

Desde 2015, Londoño teve vários problemas de saúde. Há oito meses, foi hospitalizado em Cuba para receber tratamento coronário. As FARC, na época, consideraram um episódio como um "susto" que não teve grandes consequências.

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, e Timochenko lideraram na última terça-feira o ato final da entrega de armas das FARC, uma das etapas do acordo de paz negociado entre a guerrilha e o governo para encerrar um conflito de mais de 50 anos.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

A XV Semana de Relações Internacionais da PUC-SP se propõe a debater diversos temas de suma importância no mundo global, diverso, construído por múltiplas interseccionalidades e difíceis obstáculos que emergem em tempos nebulosos, incertos e de repressão e transgressão. Assim, o Centro Acadêmico de Relações Internacionais da PUC-SP convida todos a participarem de uma semana repleta de debates, circunscrevendo: a Segurança Pública e Internacional; aos desafios da migração num mundo de muros e fronteiras; aos direitos em oposição com a determinação neoliberal; aos discursos de resistência e política do Sul outrora colonizado; a inserção internacional brasileira pela política externa e comercial; aos desafios da saúde num mundo global e capitalista. Mini-cursos sobre desenvolvimento da África e narrativas alternativas ao desenvolvimento progressivista na América Latina e um workshop com a Professora Dra. Mônica Hirst serão oferecidos
Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias