Embaixador da Venezuela na ONU propõe 'terceiro Estado' para proteger embaixada do país nos EUA

Autoridades norte-americanas já cortaram a energia e a água da embaixada, que estava vazia desde que o governo de Nicolás Maduro rompeu relações com Washington

O embaixador da Venezuela na ONU, Samuel Moncada, propôs às Nações Unidas nesta quarta-feira (16/05) a participação de um terceiro Estado para proteger a embaixada venezuelana em Washington, que vem sendo atacada desde que manifestantes a ocuparam há quase um mês para evitar que o diplomata nomeado pelo deputado de direita Juan Guaidó assumisse o posto de embaixador nos EUA.

Desde que se iniciaram as manifestações na embaixada, grupos a favor do autoproclamado presidente venezuelano, Juan Guaidó, se concentraram do lado de fora do edifício e chegaram a protagonizar atos violentos para impedir o abastecimento de comida no prédio.

As autoridades norte-americanas já cortaram a energia e a água da embaixada, que estava vazia desde que o governo de Nicolás Maduro rompeu relações com Washington, no dia 23 de janeiro, após Guaidó se autoproclamar presidente.

O embaixador venezuelano ainda afirmou que os EUA violaram a Convenção de Viena quando policiais norte-americanos entraram na embaixada sem autorização de Caracas para entregar uma notificação de despejo aos manifestantes.

Segundo Moncada, o governo venezuelano já havia proposto a Turquia como mediadora após o rompimento de relações, solução que não foi aceita por Washington. 

O diplomata ainda explicou que o Estado protetor assumiria a embaixada venezuelana em Washington com a responsabilidade de cuidar da delegação diplomática, bens e arquivos.

Prensa Presidencial
Segundo Moncada, o governo venezuelano já havia proposto a Turquia como mediadora

Comentários