Aula Pública Opera Mundi: como deve ser a gestão da água no mundo?

Vanessa Empinotti, professora em Planejamento Territorial da UFABC, discute desafios contemporâneos para a segurança hídrica e o abastecimento de água

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

No novo episódio da Aula Pública, Vanessa Empinotti, doutora em Geografia pela Universidade do Colorado (EUA) e professora da UFABC, discute os principais desafios para a gestão da água no mundo. Para a especialista, os países precisam apostar na diversificação do abastecimento e estancar desperdícios.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

"Hoje estamos lidando com as consequências da sociedade de modernização industrializada, que gerou uma série de problemas não previstos, como, por exemplo, a baixa precipitação e o aumento da temperatura. Nesse sentido, o que precisamos para planejamento e gestão da água é não pensar apenas na calha do rio, mas sim, em territórios, reconhecendo as dinâmicas que envolvem urbano e rural, nas escalas regionais, além de outros fluxos sociais. O objetivo é garantir o acesso da água à população e ao ambiente", explica.

Assista ao primeiro bloco da Aula Pública com Vanessa Empinotti: como deve ser a gestão da água no mundo?

No segundo bloco da Aula Pública, Vanessa Empinotti responde perguntas do público da UFABC, em São Bernardo do Campo:

Aula Pública Opera Mundi: de quem é a responsabilidade pela violência policial?

Aula Pública Opera Mundi: como deve ser a educação das relações étnico-raciais?

Aula Pública Opera Mundi: Qual educação nós temos? E qual educação queremos?

 

Opera Mundi TV

Vanessa Empinotti discute os desafios da gestão da água no mundo

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Lugar de fala e a fala do lugar

Eu não posso nunca esquecer que essa palavra que trago como meu ofício de mundo não pode ser menos que o fio afiado da lâmina, mas não qualquer lâmina