Espanha: Prefeita de Barcelona pede para presidente catalão não declarar independência

Ada Colau também pediu que Puigdemont e Rajoy que 'não tomem nenhuma decisão que possa dinamitar a possibilidade de um espaço de diálogo'

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

A prefeita de Barcelona, Ada Colau, pediu ao presidente da região da Catalunha, Carles Puigdemont, que evite fazer uma declaração unilateral de independência nesta terça-feira (10/10), quando deve comparecer ao Parlamento catalão.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Em pronunciamento, Colau pediu a Puigdemont e ao chefe do governo da Espanha, Mariano Rajoy, "não tomem nenhuma decisão que possa dinamitar a possibilidade de um espaço de diálogo" e ajam "com a cabeça fria e com responsabilidade".

As palavras de Colau, ditas na Câmara Municipal de Barcelona em frente a uma coalizão de esquerda, chegam um dia antes do comparecimento de Puigdemont ao Parlamento regional, no qual falará sobre os resultados do referendo votado no dia 1º de outubro.

Empresas começam a sair da Catalunha após Madri mudar lei para pressionar movimento de independência

Chefe de governo espanhol descarta diálogo com Catalunha

França diz que não reconhecerá possível independência da Catalunha

 

A prefeita também pediu que Rajoy não aplique o artigo 155 da Constituição, com o qual o governo central assumiria diretamente as competências e funções da autonomia catalã.

Colau se referiu ao referendo como um "ato de soberania popular" que marca "um antes e um depois na política catalã" e "uma janela de oportunidade para o diálogo", mas ressaltou que os resultados dessa votação "não podem ser um aval para proclamar a independência".

Agência Efe

Ada Colau durante pronunciamento na Câmara Municipal de Barcelona


Além disso, a prefeita pediu para Puigdemont pensar no conjunto da Catalunha e não se precipitar, de modo a não colocar a sociedade em perigo e a fazer com que Rajoy "escute a população, que não quer mais tensão".

"Não é o momento do choque de trens, é momento do diálogo, de imaginar novos caminhos", acrescentou Colau.

(*) Com Efe

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias