Argentina comemora Dia da Memória, Verdade e Justiça

Desde 2002, os argentinos realizam manifestações massivas nesta data para lembrar as vítimas da ditadura militar no país

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

Milhares de argentinos tomaram as ruas de Buenos Aires neste sábado (24/03), no Dia da Memória pela Verdade e Justiça, 42 anos após o golpe que instaurou uma ditadura militar no país (1976-1983). A marcha homenageou os mais de 30 mil desaparecidos e vítimas da ditadura e do governo de Mauricio Macri. 
 


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

A manifestação teve como cenário central a simbólica Plaza de Mayo e suas ruas vizinhas, onde convergiram organizações sociais, movimentos de defesa dos direitos humanos e familiares dos sobreviventes.
 
Uma das organizações conveniadas, a Assembléia Permanente dos Direitos Humanos (APDH), marchou em repúdio ao terrorismo de Estado e em comemoração ao Dia Nacional da Memória pela Verdade e Justiça.
 
Emergentes
Argentinos vão às ruas 42 anos após o golpe militar no país

 

Argentina: morre Carmen Lapacó, uma das fundadoras das Mães da Praça de Maio

Argentina: Avós da Praça de Maio encontram neta 127

Argentina: as ruas são a única esperança

 

Várias têm sido as iniciativas para este ano, como as Mães da Praça de Maio que convocaram os argentinos a pintarem nas ruas, veredas e praças. "Ante o avanço do governo em apagar a memória, pintemos os lenços que nos recordam aos 30 mil desaparecidos e como estão presentes em cada jovem que luta", destaca a campanha das Mães.

"O chamado à unidade é necessária para exigir a libertação dos presos políticos, para denunciar os retrocessos nas políticas estaduais de Memória, Verdade e Justiça (...)",  declararam treze organizações de direitos humanos, em um comunicado.
 
(*) Com Telesur e Prensa Latina
 

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Os supersalários das Forças Armadas

Nossa reportagem levantou todos os salários de militares e encontrou centenas acima do teto, indenizações de mais de R$ 100 mil e valores milionários pagos no exterior