Puxadas por Wall Street, bolsas asiáticas sobem a nível mais alto desde agosto de 2008

Puxadas por Wall Street, bolsas asiáticas sobem a nível mais alto desde agosto de 2008

Redação

Os mercados asiáticos fecharam em elevação hoje (15), puxados pela valorização nas bolsas dos Estados Unidos. A maré de notícias deve influenciar as bolsas latino-americanas, que acompanharam Nova York e subiram ontem.

O índice japonês Nikkei 225 avançou 1,8%, enquanto Hong Kong apresentou o melhor fechamento em mais de 14 meses. O índice Hang Seng ganhou 112,60 pontos, ou 0,5%, e terminou aos 21.999,08 pontos, a maior pontuação desde 7 de agosto de 2008.

Já as bolsas da China apresentaram elevação pelo terceiro pregão seguido. Os investidores compraram ações do setor financeiro, animados com os números de setembro sobre os empréstimos bancários, que vieram mais fortes do que as expectativas. Os ganhos, contudo, foram limitados pela realização de lucros e pela pressão do lançamento de IPOs. O índice Xangai Composto ganhou 0,3% e encerrou aos 2.979,79 pontos, o maior fechamento desde 17 de setembro. Já o Shenzhen Composto subiu 0,4% e terminou aos 1.025,20 pontos.

A estabilidade na taxa de paridade central dólar-yuan manteve a moeda chinesa sem alterações em relação à unidade norte-americana, apesar da desvalorização do dólar nos mercados internacionais. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado aos 6,8287 yuans, ligeiramente acima do fechamento de quarta-feira, que foi de 6,8265 yuans.

Taiwan, fechou em ligeira alta. O índice Taiwan Weighted subiu 0,2% e encerrou aos 7.710,40 pontos, a maior pontuação desde 26 de junho de 2008.

Já Seul encerrou com elevação de 0,6%, fechando aos 1.658,99 pontos. As boas perspectivas divulgadas pela Posco puxaram para cima as ações das siderúrgicas, que lideraram a alta de todo o mercado.

Na Austrália, o índice S&P/ASX 200 da Bolsa de Sydney chegou a atingir a maior pontuação em 13 meses, mas acabou fechando bem abaixo desse nível com a cautela diante da próxima rodada de balanços dos EUA. O índice avançou 0,6% e fechou em 4.859,9 pontos.

Na Bolsa de Manila, nas Filipinas, o índice PSE ganhou 0,4% e fechou aos 2.942,79 pontos.

A Bolsa de Cingapura terminou estável, perdendo a maioria de seus ganhos iniciais por conta de realizações de lucros próximas ao final da sessão. O índice Straits Times subiu 0,1% e fechou aos 2.712,15 pontos.

Indonésia, terminou em ligeira alta, uma vez que realizações de lucros limitaram os ganhos das ações. O índice subiu 0,2% e fechou aos 2.515,38 pontos.

A exceção foi o mercado tailandês, que caiu fortemente, com nervosos investidores estrangeiros liderando um amplo movimento de vendas por conta de temores sobre a saúde do rei Bhumibol Adulyadej alimentando pânico generalizado.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, terminou estável, variando positivamente apenas 0,02 ponto, fechando aos 1.246,86 pontos. Ações com beta alta atraíram o interesse de manhã, mas realizações de lucros à tarde encobriram esses ganhos.

Europa

A maioria das bolsas europeias abriu o pregão em alta, com exceção de Londres, que na abertura apresentava queda de 3,2 pontos (0,06%), aos 5.252,9.

Os investidores aguardam a divulgação, em Nova York, de lucros do banco Goldman Sachs, às 8h de Brasília, com o Citigroup anunciando seus números uma hora mais tarde. Se confirmadas as previsões mais otimistas, analistas teriam mais um sinal de recuperação da economia mundial.

Frankfurt inaugurou em alta de 0,15%, aos 5.861,87 pontos, Madri, alta de 50,20 pontos (0,42%), aos 11.921, Paris, 0,08%, aos 3.885 pontos e Milão, 0,53%, aos 24.476,04.

Américas

Ontem os resultados da economia dos EUA fizeram os índices subirem com força. Em Wall Street, o índice Dow Jones superou os 10 mil pontos pela primeira vez em 2009, após subir 1,47%. O indicador da bolsa eletrônica norte-americana, a Nasdaq, teve valorização de 1,51%.

A Bovespa saltou 2,4% e fechou aos 66,2 mil pontos, o Merval ganhou 1,4% na Argentina e o índice mexicano se valorizou 0,9%.


Comentários