Papa Francisco autoriza canonização de Óscar Romero, arcebispo assassinado em El Salvador

Anúncio foi dado pela sala de imprensa da Santa Fé; ícone da Igreja Católica na América Latina foi assassinado em 1980

Redação

0

Todos os posts do autor

O Vaticano anunciou nesta quarta-feira (07/03) que o arcebispo salvadorenho Óscar Romero, assassinado por uma junta militar em 1980, será proclamado santo.

O decreto que reconhece um milagre atribuído a Romero foi autorizado pelo papa durante uma reunião de cardeais organizada com o objetivo de dar aprovação final a diversos casos de santidade, segundo anunciou a sala de imprensa da Santa Fé.

Esta é considerada a última etapa para que se possa concluir o processo de canonização. Romero já havia sido declarado “Servo de Deus” pelo papa João Paulo II em 1997, e em 2015 o papa Francisco aprovou um decreto de beatificação reconhecendo o arcebispo como mártir da igreja. 

Flickr/CC

Vaticano anunciou que arcebispo salvadorenho Óscar Romero, assassinado por uma junta militar em 1980, será proclamado santo

Eu apoio Opera Mundi

Eu apoio Opera Mundi

Eu apoio Opera Mundi

O arcebispo foi morto por um atirador de elite no dia 24 de março de 1980, enquanto celebrava uma missa. Romero ficou conhecido por denunciar em seus sermões a repressão do regime militar salvadorenho durante a guerra civil. Além disso, o arcebispo frequentemente se posicionou ao lado dos camponeses do país, considerados por ele como injustiçados.

Uma investigação conduzida pela ONU em 1992 concluiu que o autor intelectual do assassinato de Romero foi o político de direita e ex-oficial do Exército de El Salvador Roberto D’Aubuisson. No entanto, ninguém nunca foi julgado por sua morte.

Em 2010 a Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou o dia 24 de março como o Dia Internacional para o Direito à Verdade para as Vítimas de Graves Violações dos Direitos Humanos. Segundo a instituição, esta foi uma forma de reconhecer o arcebispo como um “grande defensor dos direitos humanos”.
 

Comentários

Leia Também