Parlamento grego ratifica histórico acordo com Macedônia

Após quase três décadas de impasse, país balcânico mudará de nome para entrar na OTAN e na UE

Agência ANSA

ANSA ANSATodos os posts do autor

O Parlamento da Grécia ratificou nesta sexta-feira (25/01) um histórico acordo sobre a mudança de nome da Macedônia, que abre caminho para a inserção da ex-república iugoslava em organismos internacionais.

Apesar dos protestos que tomaram as ruas de Atenas nos últimos dias e custaram a maioria parlamentar do primeiro-ministro Alexis Tsipras, o texto foi chancelado com 153 votos (de um total de 300), graças ao apoio de deputados independentes.

Com isso, a Ex-República Iugoslava da Macedônia (Fyrom, no acrônimo em inglês) passará a se chamar República da Macedônia do Norte. Por sua vez, a Grécia derrubará suas objeções à entrada do país na Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) e na União Europeia, encerrando uma disputa de quase três décadas.

"A Macedônia do norte que nasceu hoje será um país amigo, aliado da Grécia em seus esforços para o desenvolvimento da região", disse Tsipras, que elogiou os "corajosos deputados que lançaram as bases para um futuro de paz". "Hoje estamos escrevendo uma nova página nos Bálcãs. O ódio do nacionalismo dá lugar à amizade", acrescentou.

O acordo havia sido aprovado pelo Parlamento macedônio no último dia 11 de janeiro, apesar de ter sido rejeitado em plebiscito em setembro passado. Na ocasião, 91% dos votantes aprovaram a mudança, mas apenas 36% do eleitorado participou, impedindo que a consulta atingisse o quórum mínimo de 50%.

Atenas reivindicava exclusividade sobre o termo "Macedônia", que batiza a parte setentrional da Grécia, e temia que a adoção do nome pela nação vizinha fomentasse pretensões territoriais. Independente desde 1991, a Macedônia só foi admitida na ONU sob o acrônimo Fyrom. 

 

EPA
Protesto em Atenas contra acordo sobre o novo nome da Macedônia

Comentários