Massacre em Suzano pode gerar debate sobre armas no Brasil, diz Le Monde; veja repercussão

Emissora teleSur destacou que ataque corre quase dois meses após Bolsonaro flexibilizar porte de armas

Redação

São Paulo (Brasil)

O ataque a tiros que deixou 7 pessoas mortas na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, na região metropolitana de São Paulo, que ocorreu nesta quarta-feira (13/03) foi destaque em diversos veículos de comunicação pelo mundo.

O jornal francês Le Monde destacou as "medidas tomadas recentemente" pelo presidente do Brasil Jair Bolsonaro, de flexibilizar o porte de armas e afirmou que o atentado em Suzano pode gerar um "debate sobre as armas" no país.

O periódico ainda destaca que a presidente do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffmann, criticou publicamente Bolsonaro após o ataque, afirmando que seu discurso "estimula a violência".

O argentino Página 12 publicou o número de feridos, que chega a 17 no momento, e apontou para imagens de estudantes fugindo do local.

O periódico classificou o episódio como "massacre" e afirmou que ocorreu "durante o governo de Jair Bolsonaro, que fomenta o uso indiscriminado de armas".

O norte-americano New York Times destacou que os autores do crime, Luiz Henrique de Castro, 25 anos, e Guilherme Taucci Monteira, 17 anos, eram, antigos alunos da escola. 

O jornal também destacou que entre os mortos, cinco eram estudantes e dois eram funcionários da escola. "Os agressores se mataram após o crime", disse o periódico.

O britânico The Guardian aponta para vídeos de câmeras de segurança do local que mostram "dois homens jovens saindo de uma carro branco estacionado em frente à escola e caminhando para dentro do prédio antes dos estudantes começarem a sair correndo pelo portão".

O periódico ainda destaca que o senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, culpou a legislação brasileira sobre posse de armas.

A emissora multiestatal teleSur destacou a manifestação de solidariedade de líderes políticos mundiais com os familiares das vítimas do ataque.

Segundo a emissora, "esta tragédia ocorre quase dois meses depois que o presidente Jair Bolsonaro anunciou a flexibilização do porte de armas no Brasil".

Ataque a tiros

Um jovem de 17 anos e um homem de 25 invadiram a Escola Estadual Raul Brasil na manhã desta quarta-feira (13/03), em Suzano, na região metropolitana de São Paulo, e assassinaram oito pessoas, incluindo cinco alunos e dois funcionários do colégio.

De acordo com as autoridades, os autores do crime, que também morreram no massacre, haviam planejado o ataque durante um ano realizando pesquisas e participando de fóruns de debate da "Deep Web" sobre atentados em escolas nos EUA.

Reprodução/Google Street View
Um jovem de 17 anos e um homem de 25 invadiram a Escola Estadual Raul Brasil

Comentários