EUA anunciam novas sanções contra Cuba; Havana rechaça medidas

Medidas anunciadas pelo Departamento do Tesouro proíbem viagens educacionais e ida de embarcações privadas à ilha

O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos anunciou nesta terça-feira (04/06) novas sanções contra Cuba proibindo viagens educacionais de norte-americanos, e ida de embarcações e aeronaves privadas à ilha.

"Cuba continua a desempenhar um pepel desestabilizador no hemisfério ocidental fornecendo um ponto de apoio comunista na região e auxiliando adversários dos EUA em lugares como Venezuela e Nicarágua fomentando instabilidade, ignorando o Estado de direito e suprimindo processos democráticos", disse o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin.

Em comunicado oficial, o órgão do governo norte-americano ainda afirmou que tomou uma "decisão estratégica para reverter o afrouxamento das sanções e outras restrições ao regime cubano".

As novas sanções proíbem viagens em grupo chamadas "people-to-people", onde norte-americanos eram autorizados a visitar a ilha com um propósito educacional e tendo como requisito a recepção de cidadãos cubanos, como uma forma de intercâmbio entre povos.

O método proibido nesta terça pelo governo era um dos apenas 12 jeitos que cidadãos dos EUA podem visitar Cuba.

Outras sanções aprovadas por Washington proíbem a ida de embarcações marítimas para transporte ou de recreação e aeronaves privadas à ilha. 

Segundo o Departamento do Tesouro, as únicas aeronaves civis que seguem com autorização para viajar à Cuba são voos comerciais.

Segundo Mnuchin, "essas ações ajudarão a manter os dólares [norte-]americanos longe das mãos dos militares, inteligência e serviço de segurança cubanos".

Chancelaria de Cuba

O presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, se pronunciou sobre as novas sanções e afirmou que "trabalho, criatividade, esforço e resistência é nossa resposta".

"Cuba não se deixará amedrontar nem distrair com novas ameaças e restrições. Não puderam nos asfixiar. Não poderão nos deter", disse o mandatário.

Pelo Twitter, o ministro das Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodríguez, rechaçou "energicamente o anúncio dos EUA de novas sanções contra Cuba que restringem as viagens de estadunidenses e endurecem o bloqueio".

Segundo o chanceler, os EUA pretendem asfixiar a economia e prejudicar o nível de vida dos cubanos para arrancar de nós concessões políticas. Fracassarão outra vez".

PixaBay
Medidas anunciadas pelo Departamento do Tesouro proíbem viagens educacionais e ida de embarcações privadas à ilha

Comentários

Leia Também