Venezuela rechaça acusação de dar proteção a grupos armados colombianos

Ministro da Comunicação, Jorge Rodríguez, afirmou que documentos divulgados por periódico colombiano são falsos pois 'não utiliza a terminologia correta da institucionalidade do país'

O ministro da Comunicação da Venezuela, Jorge Rodríguez, desmentiu nesta segunda-feira (09/09) uma publicação realizada pela revista colombiana Semana no último domingo (08/09), que pretendia vincular o governo venezuelano a supostos grupos armados na Colômbia.

"A publicação da revista Semana está manchada de mentiras sobre o funcionamento do Estado venezuelano", disse o ministro que mostrou provas que desmontam essa rede de comunicação, a qual atribuiu a autoria intelectual ao ex-presidente colombiano Álvaro Uribe.

O ministro disse que a publicação desse artigo pretende justificar a inclusão da Venezuela pelos Estados Unidos em uma lista de países que apoiam o terrorismo.

Rodríguez assegurou que o suposto documento extraído dos corpos de inteligência venezuelanos, os quais supostamente o periódico teve acesso, não utiliza a terminologia correta da institucionalidade do país.

"Colocam um escudo onde não deveria estar, colocam um selo onde não deveria ter, com uma tipografia que não é utilizada. É uma terminologia que não corresponde", disse o ministro, que mostrou a forma real na qual os documentos venezuelanos são emitidos.

Ainda assim, o ministro fez referência a um trecho desse artigo que qualifica a Venezuela como um "vizinho problemático". Sobre isso, Rodríguez lembrou que Colômbia é um país que tem há mais de 50 anos um conflito armado e é atualmente o maior produtor de drogas do mundo.

Prensa Presidencial
Ministro da Comunicação, Jorge Rodríguez, afirmou que documentos divulgados por periódico colombiano são falsos

Relações Colômbia e Venezuela

O ministro recordou que o governo da Colômbia abriga dirigentes de grupos terroristas venezuelanos, golpistas e outros fugitivos da Justiça como Julio Borges.

Rodríguez também lembrou que a Colômbia tem mais de 8,5 milhões de vítimas causadas pelo conflito armado e social, mais de 7 milhões de desabrigados, sete bases militares norte-americanas e que mais de 670 líderes sociais foram assassinados desde a assinatura do Acordo de Paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia - Exército do Povo (Farc-EP).

"Quem é o vizinho problemático", questionou o ministro da Comunicação venezuelano, ao recordar que a Venezuela já acolheu mais de 10 milhões de colombianos.

Na última sexta-feira (06/09), o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, alertou sobre um plano do governo de Iván Duque que pretendia deixar um falso positivo na fronteira neste mês de setembro para gerar tensão nas relações entre ambas as nações. "Nós queremos paz, mas quem quer paz também deve se preparar para garanti-la, para defende-la", disse o mandatário venezuelano.

*Com teleSur

Comentários

Leia Também