Aula Pública Opera Mundi - Saída para guerra às drogas é a legalização?

"Não há possibilidade de substituir a droga comercializada ilicitamente pela produção individual", afirma o cientista político Paulo Pereira

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

Opera Mundi TV e TV Unesp apresentam o último programa da série "Aula Pública". Na edição desta quinta-feira (05/12), Paulo Pereira, cientista político e coordenador do curso de Relações Internacionais da PUC-SP, responde: "Saída para guerra às drogas é a legalização?". "Não há possibilidade de substituir a droga produzida e comercializada ilicitamente pela produção individual", afirma o professor.

Reveja, também, as Aulas Públicas de Breno Atman, Leonam Guimarães, Sérgio Amadeu e Luis Fernando Ayerbe.

Assista ao primeiro bloco:


No segundo bloco, Paulo Pereira responde às perguntas das correspondentes de Opera Mundi em Israel, Guila Flint, e Argentina, Aline Boueri:


No terceiro bloco, Paulo Pereira responde às perguntas do público do Nead, Unesp.

Congresso e Justiça dos EUA aprovaram espionagem para prevenir ações terroristas

Desaceleração econômica: a China na tormenta?

Comissão do Senado uruguaio aprova legalização de produção e venda de maconha

 

Leia Mais

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Escravidão e Liberdade

Escravidão e Liberdade

A editora Alameda traz uma seleção especial de livros escravidão, abolição do trabalho escravo e sobre cultura negra. Conheça o trabalho de pesquisadores que se dedicaram profundamente a esses temas, centrais para o debate da questão racial e da história do Brasil. 

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Irlandeses votam a favor da legalização do aborto

Maioria significativa respondeu com 'sim' em referendo sobre reforma da atual legislação do aborto na Irlanda, uma das mais restritivas da Europa; autoridades governamentais saúdam vitória da democracia em dia histórico

 

Philip Roth: um escritor aberto ao outro

Aos poucos, a geração de escritores que me formou e que foi decisiva na minha opção por estudar a literatura contemporânea vai terminando; e eu vou ficando cada vez menos contemporâneo