Aula Pública Opera Mundi: Que países ensinaram os militares brasileiros da ditadura a torturar?

Jornalista Marcelo Godoy, vencedor do prêmio Jabuti 2015 com o livro 'A Casa da Vovó', inaugura nova temporada da Aula Pública

No primeiro episódio da terceira temporada da Aula Pública Opera Mundi, o jornalista Marcelo Godoy responde à pergunta: quem ensinou os militares brasileiros a torturar durante a ditadura (1964-1985)? Godoy é autor do livro A Casa da Vovó – Uma Biografia do DOI-Codi (1969-1991), O Centro de Sequestro, Tortura e Morte da Ditadura Militar (Editora Alameda), vencedor do prêmio Jabuti 2015 de Livro do Ano de não ficção e premiado como melhor ensaio social pela Fundação Biblioteca Nacional.

Na Aula Pública, Godoy conta como a Doutrina de Guerra dos conflitos na Indochina e na Argélia influenciou os militares brasileiros. "A tortura se tornou uma arma no regime militar brasileiro. Para neutralizar o inimigo, os militares vão combinar estratégia de guerra com táticas policiais", afirma.

Assista o primeiro bloco da Aula Pública de Marcelo Godoy: quem ensinou os militares brasileiros a torturar?


No segundo bloco, Marcelo Godoy responde a pergunta do jornalista Victor Farinelli, de Santiago:


No terceiro bloco, Marcelo Godoy responde as perguntas do público da Universidade Metodista, em São Bernardo do Campo

As Aulas Públicas são resultado de uma parceria entre Opera Mundi e a TVT. A primeira e a segunda temporadas das Aulas Públicas, produzidas em 2013 e 2014 em parceria com a TV Unesp, já foram exibidas em sinal aberto e estão disponíveis na internet no canal do YouTube de Opera Mundi.

Aula Pública Opera Mundi sobre petróleo será exibida nesta quinta pela TVT

'Ainda estou aqui', de Marcelo Rubens Paiva: estamos condenados a esquecer?

Aula Pública Opera Mundi sobre armas de destruição em massa será exibida nesta quinta pela TVT

 

Leia Mais



Uma vez que você chegou até aqui...


…temos algo a sugerir. Cada vez mais gente lê Opera Mundi, mas a publicidade dos governos, com o golpe, foi praticamente zerada para a imprensa crítica, e a publicidade privada não tem sido igualmente fácil de conseguir, apesar de nossa audiência e credibilidade. Ao contrário dos sites da mídia hegemônica, nós não estamos usando barreiras que limitam a quantidade de matérias que podem ser lidas gratuitamente por mês. Queremos manter o jornalismo acessível a todos. Produzir um jornalismo crítico e independente custa caro e dá trabalho. Mas nós acreditamos que o esforço vale a pena, pois um jornalismo desse tipo é essencial num mundo que preza a democracia. E temos certeza de que você concorda com isso.


Torne-se um assinante solidário ou faça uma contribuição única.




(Este anúncio é diretamente inspirado numa solicitação feita pelo jornal britânico ‘The Guardian’. A imprensa independente de todo o mundo está buscando nesse tipo de apoio uma forma de existir e persistir.)


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

Diálogos do Sul

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Mais Lidas