Bomba da Segunda Guerra causa retirada de 54 mil pessoas

Deutsche Welle
Operação em Augsburg, na Alemanha, para desativação de bomba da Segunda Guerra é a maior do gênero desde 1945; artefato, de quase duas toneladas, foi descoberto por acaso durante obras

Cerca de 54 mil pessoas foram retiradas neste domingo (25/12) de Augsburg, no sudoeste da Alemanha, para a desativação de uma bomba de 1,8 toneladas da Segunda Guerra Mundial, na maior operação do gênero desde 1945.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

As forças de segurança deram prazo até as 10h locais para que fosse abandonada a zona de perigo, incluindo o centro da cidade e vários edifícios emblemáticos, como a catedral.

Os trabalhos de desativação da bomba começaram ao meio-dia (hora local) e foram agendados para durar quatro horas. A operação conta com o apoio de 900 polícias e centenas de bombeiros.

Agência Efe

Agentes posicionam barreiras de isolamento em Augsburg, no sudoeste da Alemanha, para desativação de bomba da Segunda Guerra Mundial

Trump repudia apoiadores que fizeram saudação nazista

Bairro de Berlim é evacuado por bomba da Segunda Guerra

EUA e Canadá proíbem novas explorações de petróleo no Ártico

 

A bomba, lançada por militares britânicos, foi descoberta por acaso na quarta-feira durante obras, uma situação que não é inusitada no país, onde 70 anos após o fim da guerra continuam a ser encontradas bombas ainda não detonadas, vestígios dos bombardeios aliados contra a Alemanha nazista.

As autoridades da cidade, com 287 mil habitantes, decidiram que a operação causaria menos transtornos neste domingo do que em um dia da semana.

Foram disponibilizadas escolas e outras instalações para acolher aqueles que não podem ficar com familiares ou amigos. A prefeitura montou seis abrigos de emergência. No maior deles, no centro de convenções da cidade, foram preparadas barracas para abrigar cerca de mil pessoas. Entretanto, somente cerca de 200 recorreram às instalações.

MD/lusa/dpa

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Este livro traz de volta, depois de anos esgotado, o texto "Breve Histórico do Feminismo no Brasil", da pesquisadora e militante Maria Amélia de Almeida Teles. E acrescenta seis ensaios da autora, que tratam de temas como o aborto, a luta pela creche, a violação dos direitos humanos das mulheres durante a ditadura militar, a repressão contra as crianças no período e ainda o feminicídio.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias

STJ rejeita censura e libera site 'Falha de S.Paulo'

Site fazia paródias do jornal Folha de S.Paulo e está fora do ar desde 2010, quando o processo começou; colegiado entendeu que a proibição, pedida pela Folha, era uma tentativa de censura e fere a irreverência do direito ao entretenimento

 

Brasil, um pária das Relações Internacionais

Angela Merkel, chanceler alemã, é uma das líderes internacionais que visitou América do Sul nos últimos meses sem sequer fazer uma escala em Brasília; no cenário internacional, o 'fora Temer' sempre foi uma realidade