Esquerda latino-americana fortalecerá integração no Foro de São Paulo, diz chefe de delegação cubana

23º encontro começa neste sábado (15/07) e vai até o dia 19 na Nicarágua; objetivo é unir forças entre quem 'considera necessário um sistema diferente do capitalismo' contra a pobreza e a 'exploração perversa'

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

Em entrevista ao jornal cubano Granma publicada nesta quinta-feira (13/07), José Ramón Balaguer Cabrera, chefe do Departamento de Relações Internacionais do Comitê Central do Partido Comunista de Cuba, falou sobre o 23º encontro do Foro de São Paulo, que acontece a partir de amanhã (15/07) até o próximo dia 19 em Manágua, na Nicarágua.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

O encontro da aliança de partidos e movimentos de esquerda da América Latina acontece “em condições muito difíceis” para tais forças políticas na região, diz Cabrera, chefe da delegação cubana que estará presente na reunião.

Para o diplomata, chega-se a este encontro com uma consciência diferente daquela da época da criação do Foro, em 1990, ou dos anos em que forças de esquerda estavam no poder em mais países da região. “A arremetida da direita, bem assessorada desde o norte, pretende reverter o impulso progressista” dos últimos anos, acredita Cabrera.

Nos últimos 27 anos, o Foro “foi sumamente necessário e confirmou suas possibilidades de manter a esquerda em constante discussão, de uni-la para articular uma ação com o objetivo de impedir que sobre a América Latina se desenvolva sobre o domínio absoluto do império norte-americano”, disse ele.

Ele comentou que, na medida em que crescem as possibilidades de uma América Latina mais forte, cresce a pressão norte-americana para atravancar esse processo. “Trata-se de um projeto de guerra não convencional para impedir que na América Latina existam governos que possam enfrentar o domínio dos Estados Unidos em nossos países”, afirmou.

'Não existe o melhor do capitalismo; ele é sempre selvagem', diz filósofo cubano

Cuba celebra 20 anos da recuperação dos restos mortais de Che Guevara

Número de turistas em Cuba cresce 23,2% nos primeiros meses de 2017

 

Granma

Cabrera: reunião do Foro na Nicarágua é um reconhecimento à Revolução Sandinista

“Nessa reunião, o objetivo principal é chegar à unidade das forças de esquerda, dos partidos e movimentos progressistas, dos que consideram necessário um sistema diferente do capitalismo para sair da pobreza, da exploração perversa que as grandes transnacionais, o sistema financeiro internacional e os Estados Unidos exercem sobre nossos países”, disse o diplomata cubano.

Em janeiro, um grupo de trabalho do Foro formado por representantes de movimentos e partidos de vários países elaboraram o Consenso de Nossa América, que será debatido no encontro que começa amanhã.

Segundo Cabrera, o documento “realiza uma aproximação histórica ao tema da unidade das forças revolucionárias, à necessidade da incorporação de um programa que transcenda a conjuntura eleitoral e defina em cada um de nossos países os passos para chegar ao poder e construir novas sociedades, soberanas, anti-imperialistas, solidárias”.

O diplomata também comentou que a celebração deste encontro na Nicarágua se trata de um reconhecimento à Revolução Sandinista e ao povo nicaraguense, liderado pelo presidente Daniel Ortega, da FSLN (Frente Sandinista de Libertação Nacional). O encontro também homenageará Che Guevara, cuja morte completa 50 anos em 2017, e a Revolução Russa, que chega a seu centenário.

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Espanha debate exumação dos restos mortais de Franco

Mausoléu do ex-ditador integra monumento para homenagear mortos da Guerra Civil e virou destino de peregrinação de extremistas de direita; governo quer transformar memorial num local de reconciliação nacional