Ahmadinejad convida novo líder egípcio para encontro internacional no Irã

Os dois países romperam relações diplomáticas após a assinatura do acordo de paz de Camp David entre Egito e Israel

Redação

 

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, convidou nesta quinta-feira (05/07) o novo chefe de Estado egípcio, o islamita Mohammed Mursi, à cúpula do Movimento dos Países Não-Alinhados (MPNA) prevista para o final de agosto em Teerã. As informações são da agência oficial de notícias iraniana Irna.

Wikicommons
Em uma conversa por telefone, Ahmadinejad disse a Mursi que Teerã não impõe limites à ampliação de suas relações com Cairo, rompidas desde 1979 devido à assinatura do acordo de paz de Camp David entre Egito e Israel.

O Egito é o atual presidente rotativo do MPNA, formado por 118 países-membros de pleno direito e 20 Estados e organizações, e sediou a 15ª cúpula da organização em 2009. No próximo, o Irã assumirá a Presidência por um período de três anos.

 

Para Ahmadinejad, o papel do Egito no MNPA é inegável e a cooperação construtiva entre Irã e Egito neste movimento pode ter resultados positivos “Sua presença na próxima cúpula como atual presidente do MPNA ajudará a desenvolver as conversas e à adoção de decisões nesta grande organização internacional", afirmou o presidente iraniano.

Além de reiterar os seus cumprimentos ao islamita pela recente posse na Presidência egípcia, Ahmadinejad assinalou que o Irã está disposto a colaborar com o novo governo egípcio em questões "regionais e internacionais", além de transferir suas conquistas em todos os setores ao Egito "para o progresso e desenvolvimento de sua população".

 

Na opinião de Ahmadinejad, o MPNA tem a influência e capacidade para "ajudar a restaurar a paz e a segurança no mundo todo" e, uma cooperação construtiva entre Irã e Egito "é inegável que daria muitos resultados positivos".

O Movimento dos Países Não-Alinhados, fundado em 1955, reúne quase dois terços dos Estados-membros das Nações Unidas, que acumulam pouco mais da metade da população mundial.

Comentários