ONU: iraquianas se suicidam após serem vítimas de estupro por membros do Estado Islâmico

Segundo Organização das Nações Unidas, casamentos forçados com representantes do grupo também geram suicídios

Redação

Todos os posts do autor

Com a escalada de violência no Iraque, a ONU anunciou grave preocupação com o uso de meninas e mulheres como armas de guerra. Em relatório, a organização internacional denunciou que as iraquianas estão sendo vítimas de raptos, estupros e casamentos forçados com membros do grupo extremista sunita Estado Islâmico.

© 2006 Yuri Kozyrev / Noor /Redux

Mulheres iraquianas detidas na prisão feminina de Kadhimiyya, em Bagdá: violações às mulheres continuam no país

A diretora-executiva da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka, expressou profunda preocupação com os recentes relatos de algumas iraquianas que cometem suicídio logo após serem estupradas ou forçadas a se casar com os jihadistas.

Mlambo-Ngcuka ainda mencionou casos de homens que também se suicidam depois de serem forçados a assistir suas esposas ou filhas serem estupradas. Para a diretora, tais violações de direitos humanos trazem consequências devastadoras e duradouras não só para mulheres e meninas, mas à família em geral.

Estima-se que 20 mil mulheres e garotas iraquianas estão em risco de sofrer algum tipo de violência sexual, principalmente nas regiões norte e oeste do país, afirmou o Fundo de População das Nações Unidas no início desta semana. De acordo com a agência, pelo menos 250 mil iraquianas – incluindo cerca de 50 mil grávidas – precisam urgentemente de cuidados médicos. 

Em meados de junho, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, condenou a escalada da violência terrorista no Iraque e pediu aos líderes iraquianos tomarem medidas rápidas para enfrentarem a crise. O líder das Nações Unidas também pediu solidariedade da comunidade internacional face à atual situação do Iraque, que já deixou mais de 1,2 milhão de refugiados e um total de pelo menos 2,2 milhões de deslocados desde o início de junho.

Recomendadas para você

Comentários

Leia Também