Nos EUA, deputado republicano admite ter discursado para grupo de ex-líder da Ku Klux Klan e gera polêmica

No centro da questão, ex-mago da seita, David Duke, disse já ter recebido legisladores democratas em eventos pelo menos 50 vezes em sua vida política

Vanessa Martina Silva

Todos os posts do autor

O deputado republicano Steve Scalise, da Lousiana, se viu em meio a um escândalo por motivações raciais esta semana. Na última segunda-feira (29/12), ele confessou ter discursado em um evento promovido por um grupo que prega a supremacia branca. A declaração gerou diversas manifestações, inclusive um pedido para que ele renunciasse, feito nesta quinta-feira (1º/01) por um deputado democrata e corroborado por alguns veículos de imprensa.

Wikicommons
Por meio de um comunicado divulgado nesta quinta-feira (1º/01), o democrata Sean Patrick Maloney disse ser “ofensivo” que um membro da Câmara de Representantes compactue com um grupo racista e que promove o ódio.

[Scalise ocupa a terceira posição mais poderosa na Câmara dos Representantes]

A polêmica foi instaurada após Scalise confirmar, depois das denúncias feitas por um blogueiro, que participou, em 2002, de uma conferência promovida pela associação de supremacia branca Organização da Unidade e Direitos Euroamericana (EURO), dirigida pelo ex-grande mago da Ku Klux Klan, David Duke.

Diante da confissão, os jornais USA Today e Chicaco Tribune também pediram a renúncia do deputado, tendo como perspectiva que o Partido Republicano precisa se aproximar das minorias do país se quiser ser viável eleitoralmente nas eleições presidenciais de 2016.

Scalise se desculpou pela ação, alegou ter falado com diversos outros grupos no estado durante a campanha eleitoral e disse não conhecer Duke. Ponto que foi fortemente criticado por Maloney que classificou a afirmação sobre o desconhecimento do mago como um “insulto”.

 

Essa não foi a primeira vez que o deputado republicano teve um posicionamento controverso com relação à temática racial. Como deputado de Lousiana, se opôs duas vezes à proposta de que o aniversário de Martin Luther King fosse comemorado como um dia festivo no estado.

O mago

Duke, por sua vez, disse não entender a polêmica em torno de Scalise. Em entrevista concedida ao site Fusion, ele afirmou que já recebeu políticos de ambos os lados para todo o tipo de conferências e, inclusive, nas festas de aniversários de seus filhos.

O ex-líder da Ku Klux Klan afirmou ainda que já se reuniu com legisladores democratas pelo menos 50 vezes em sua vida política e ameaçou revelar os nomes de todos os políticos – republicanos e democratas – com quem tem laços, caso não cessem as hostilidades a Scalise.

Recomendadas para você

Comentários

Leia Também