Candidatos à Presidência na França fazem megacomícios às vésperas das eleições

Sarkozy e Hollande escolheram Paris. Já Jean-Luc Mélenchon reuniu milhares de simpatizantes em Marselha

Thassio Borges

Clique aqui ou no banner acima para conferir outras matérias do Especial das Eleições na França 

As ruas de Paris, capital francesa, foram tomadas neste domingo (15/04) por milhares de pessoas que manifestaram apoio aos favoritos para avançar ao segundo turno nas eleições francesas, Nicolas Sarkozy e François Hollande. Quem também demonstrou força foi o candidato da Frente de Esquerda, Jean-Luc Mélenchon que, após o sucesso dos comícios em Paris e em Toulouse, reuniu milhares de simpatizantes sábado (15/04) em Marselha, no sul da França.

Efe


O socialista François Hollande aparece como grande favorito nas pesquisas de intenções de voto

Atualmente oscilando entre 13% e 17% da preferência do eleitorado, Mélenchon disputa a terceira posição com outra extremista: a xenófoba Marine Le Pen, da Frente Nacional. Pela sexta semana consecutiva, Mélenchon foi considerado o candidato com a “melhor dinâmica de campanha”, segundo o instituto TNS-Sofres, lotando espaços e locais públicos por onde passa.

O candidato da Frente de Esquerda disse no comício que é preciso lutar depois da eleição pela construção de uma "República Social", acabando com a "monarquia dos patrões". "Não faz sentido eleger um governo de esquerda se não fizermos isso", afirmou Mélenchon.

A polícia francesa não divulgou o público dos comícios de domingo, mas cada um dos eventos reivindicou para si ao menos 100 mil pessoas. A “batalha” pelo voto francês foi travada pelos candidatos em áreas muito próximas na capital.

Sarkozy, candidato pela UMP (União por um Movimento Popular), realizou seu evento político na Praça da Concórdia, o mesmo local onde comemorou sua vitória nas eleições de 2007. Já Hollande, que representa o PS (Partido Socialista), escolheu a esplanada do castelo de Vincennes, na periferia da capital.

Os grandes comícios são característicos às vésperas das eleições. Em janeiro, o socialista já havia reunido cerca de 25 mil pessoas, também em Paris. Em março foi a vez de Sarkozy realizar um comício que atraiu cerca de 80 mil partidários, vindo de todos os cantos da França em ônibus fretados. As despesas ficaram por conta do próprio partido.

Até o momento, Hollande aparece como primeiro colocado nas pesquisas de intenção de voto, seguido por Sarkozy. Em seu discurso neste domingo, o socialista reafirmou seu desejo de renegociar, se eleito, o tratado europeu de disciplina orçamentária.

Efe


Atualmente oscilando entre 13% e 17% da preferência do eleitorado, Mélenchon disputa a terceira posição com Marine Le Pen

O acordo foi assinado no início de março por 25 países da Europa e, segundo Hollande, carece de um capítulo a respeito de crescimento. O socialista disse ainda que a direita “agita o medo” no país, em clara referência ao tema da imigração, que aparece cada vez mais forte nos discursos de Sarkozy após os ataques perpetrados por pelo extremista Mohamed Merah em Toulouse e Montauban.

Hollande, no entanto, ressaltou que recusar o “adversário” não é suficiente para o país. Segundo ele, “é preciso fixar uma nova fronteira para uma nova França”. Por fim, o socialista falou diretamente sobre Sarkozy e afirmou terá como responsabilidade, caso seja eleito, “abrir um novo tempo” para os franceses.

Não muito longe dali, Sarkozy pediu ajuda à população para superar a diferença que o separa do primeiro colocado nas pesquisas. “Não tenham medo, eles não vencerão se vocês decidirem que querem ganhar”, afirmou à multidão.

Em seu discurso, o atual presidente voltou a falar da questão da imigração, mas revelou certa preocupação também a respeito do BCE (Banco Central Europeu) na contenção à crise que atinge com intensidade o continente.

“Quero levantar não apenas o problema das fronteiras, mas também o do papel do Banco Central no apoio ao crescimento. É uma questão que não podemos evitar, porque a Europa não quer perder o chão na economia mundial e deve absolutamente retomar o crescimento. Se o BCE não apóia o crescimento, não teremos crescimento suficiente”, afirmou Sarkozy.

Efe


Em seu comício, Sarkozy pediu a ajuda dos franceses para se reeleger

A pesquisa de votos mais recentes divulgadas no país aponta para uma leve vantagem de Hollande sobre o atual presidente. De acordo com levantamento do instituto LH2, a pedido do Yahoo!, o socialista tem 29,5% dos votos, enquanto Sarkozy tem 27%.

No segundo turno, a vitória também seria Hollande, que teria 55% contra 45% de seu oponente. De acordo com a pesquisa, a candidata da extrema-direita Marine Le Pen, da Frente Nacional, e Jean-Luc Mélenchon, da Frente de Esquerda, estão empatados com 14% na terceira colocação.

Comentários

Leia Também