Presidente da Câmara de Comércio Árabe Brasileira vai à Tunísia para discutir parcerias comerciais

Rubens Hannun se reuniu com empresários e ministro das Relações Exteriores do país; no início do mês, Liga Árabe alertou Bolsonaro sobre 'prejudicar' relações do Brasil com países árabes

Redação

O presidente da Câmara de Comércio Árabe Brasileira, Rubens Hannun, se reuniu com representantes de empresas privadas na Tunísia neste mês de dezembro para negociar a realização de parcerias comerciais entre os dois países em 2019.

Entre os temas discutidos, ficou confirmada a participação de empresas tunisianas na Apas Show, feira anual da Associação Paulista de Supermercados, na qual companhias da nação árabe já participaram em edições anteriores.

O representante da Câmara Árabe também abordou a organização de uma Semana Brasileira na Tunísia, em evento que reuniria atividades comerciais e culturais, e ainda participou de uma conferência realizada pelo ministério das Relações Exteriores do país, onde foi recebido pelo titular da pasta, Khemaies Jhinaoui.

Hannun ainda discutiu o plano de trabalho do Conselho Empresarial Brasil-Tunísia para o ano de 2019, negociação de livre comércio entre o Mercosul e o país árabe, e o acordo entre a Câmara de Comércio Árabe e a Associação das Câmars de Comércio e Indústria do Mediterrâneo (Ascame).

Liga Árabe

No início de dezembro, a Liga Árabe, da qual a Tunísia faz parte, fez um alerta ao presidente eleito, Jair Bolsonaro, sobre as intenções do novo governo brasileiro de transferir sua embaixada em Israel para Jerusalém, afirmando que a medida poderia prejudicar as relações do Brasil com os países árabes.

Um carta assinada pelo secretário-geral da Liga Árabe destinada a Bolsonaro foi entregue ao ministério de Relações Exteriores brasileiro.

"Dar um passo como esse não apenas atingiria os interesses palestinos, mas também reduziria drasticamente as oportunidades de alcançar uma paz mais ampla", diz trecho da carta de Aboul Gheit. O secretário-geral da Liga Árabe pediu que Bolsonaro "considere o ponto de vista árabe como uma maneira de preservar a duradoura amizade".

Anba
Hannun se reuniu com ministro das Relações Exteriores da Tunísia

Comentários

Leia Também