Bolsonaro dispensa cidadãos de EUA, Austrália, Canadá e Japão de vistos para visitar Brasil

Medida, no entanto, não significa que estes países tenham dispensado cidadãos brasileiros da necessidade de pedir visto; exigência cai a partir de 17 de junho deste ano

Rafael Targino

São Paulo (Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro assinou um decreto que dispensa cidadãos dos Estados Unidos, Austrália, Canadá e Japão de obterem vistos para visitar o Brasil. A decisão foi publicada nesta segunda-feira (18/03) em uma edição extra do Diário Oficial, em meio à viagem do mandatário a Washington.

A medida, no entanto, não significa que estes países tenham dispensado cidadãos brasileiros da necessidade de pedir vistos. Ou seja: para viajar aos EUA, por exemplo, ainda será necessário passar por todo o processo de obtenção de autorização de entrada, que normalmente envolve o pagamento de uma taxa em dólar, longas filas e entrevistas nos consulados norte-americanos.

O Brasil aplicava a exigência de visto em reciprocidade a esses países. Cabe a cada um deles, se assim quiserem, por liberalidade, dispensar os brasileiros do visto de entrada. Não existe nenhum instrumento que os obrigue a fazê-lo.

A dispensa de vistos vale para entradas para “turismo, negócios, trânsito, realização de atividades artísticas ou desportivas ou em situações excepcionais por interesse nacional”, de acordo com o decreto, e que tenham duração de até 90 dias, não ultrapassando 180 no período de doze meses.

O fim da exigência começa a valer a partir de 17 de junho de 2019.

Wikimedia Commons
Detentores de passaporte norte-americano não precisarão mais de visto para entrar no Brasil

Veja a íntegra do decreto:

DECRETO Nº 9.731, DE 16 DE MARÇO DE 2019

Dispensa visto de visita para os nacionais da Comunidade da Austrália, do Canadá, dos Estados Unidos da América e do Japão e altera o Decreto nº 9.199, de 20 de novembro de 2017, que regulamenta a Lei nº 13.445, de 24 de maio de 2017, que institui a Lei de Migração.

PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, caput, inciso IV, da Constituição, e tendo em vista o disposto no art. 9º,caput, inciso IV, da Lei nº 13.445, de 24 de maio de 2017,

DECRETA:

Art. 1º Fica dispensado, de forma unilateral, visto de visita, nos termos do disposto no art. 9º,caput, inciso IV, da Lei nº 13.445, de 24 de maio de 2017, para os solicitantes nacionais:

I - da Comunidade da Austrália;

II - do Canadá;

III - dos Estados Unidos da América; e

IV - do Japão.

Parágrafo único. A dispensa do visto de visita apenas se aplica aos nacionais referidos nos incisos docaput, portadores de passaportes válidos, para:

I - entrar, sair, transitar e permanecer no território da República Federativa do Brasil, sem intenção de estabelecer residência, para fins de turismo, negócios, trânsito, realização de atividades artísticas ou desportivas ou em situações excepcionais por interesse nacional; e

II - estada pelo prazo de até noventa dias, prorrogável por igual período, desde que não ultrapasse cento e oitenta dias, a cada doze meses, contado a partir da data da primeira entrada no País.

Art. 2º O Decreto nº 9.199, de 20 de novembro de 2017, passa a vigorar com as seguintes alterações:

"Art. 25. ...........................................................................................................

...........................................................................................................................

§ 2º Ato conjunto dos Ministros de Estado da Justiça e Segurança Pública e das Relações Exteriores poderá, excepcionalmente, dispensar a exigência do visto de visita, para nacionalidades determinadas, observado o interesse nacional.

................................................................................................................." (NR)

Art. 3º Este Decreto entra em vigor em 17 de junho de 2019.

Brasília, 16 de março de 2019; 198º da Independência e 131º da República.

JAIR MESSIAS BOLSONARO

SÉRGIO MORO

ERNESTO HENRIQUE FRAGA ARAÚJO

MARCELO HENRIQUE TEIXEIRA DIAS

Comentários

Leia Também