Ministros ameaçam renunciar se Johnson assumir governo britânico

Poucos dias antes de os conservadores definirem a sucessão de Theresa May, chefes das pastas de Economia e Justiça dizem que não participarão de um governo que vise um Brexit sem acordo

Redação

Deutsche Welle Deutsche Welle

Bonn (Alemanha)

O ministro da Economia do Reino Unido, Philip Hammond, anunciou neste domingo (21/07) que renunciará ao cargo se o ex-ministro do Exterior britânico Boris Johnson se tornar o novo primeiro-ministro. Como justificativa, ele se disse incapaz de colaborar com um líder que pretende tirar o país da União Europeia (UE) sem um acordo.

O Partido Conservador anuncia nesta terça-feira o ganhador da campanha interna para escolher o novo líder "tory", na qual Johnson é o favorito, numa disputa com o atual ministro do Exterior, Jeremy Hunt.

Hammond, que está há três anos no posto, sempre criticou a possibilidade de o Reino Unido sair da UE sem um acordo – algo defendido por Johnson.

O ministro confirmou ao programa do jornalista Andrew Marr, da emissora de televisão BBC, que deixará o cargo caso o ex-prefeito de Londres se torne chefe do Executivo. "Tenho certeza de que não vou ser tirado (do governo) porque vou renunciar antes de chegar a esse ponto", assegurou Hammond.

"Assumindo que Boris Johnson se torne o próximo primeiro-ministro, entendo que as condições para estar em seu governo incluiriam aceitar uma saída (da UE) sem acordo em 31 de outubro, e isso é algo que eu nunca aceitaria", acrescentou.

Kiril Konstantinov/EU2018BG
Johnson é o favorito para ser o novo primeiro-ministro do Reino Unido

"É muito importante que o premiê possa ter um ministro da Economia que seja próximo a ele quanto às ideias políticas, e portanto tenho a intenção de renunciar antes que Theresa May vá ao palácio [de Buckingham] para apresentar sua renúncia (à rainha Elizabeth) na quarta-feira", acrescentou.

Johnson avisou que seus ministros mais antigos devem aceitar a possibilidade de um Brexit sem acordo ocorrer em 31 de outubro, ressaltando que, embora não seja algo que deseje, as pessoas devem estar preparadas para "tentar aumentar a pressão sobre a UE".

Essa postura pode fazer com que vários outros ministros tentem deixar o governo antes de enfrentar a perspectiva de serem demitidos por Johnson.

O ministro da Justiça, David Gauke, também confirmou ao jornal britânico The Sunday Times que renunciará na próxima quarta-feira se Boris Johnson assumir o poder, igualmente por ser contra um chamado Brexit duro. Alguns parlamentares afirmaram também acreditar que mais conservadores pró-UE deixem seus postos para tomar parte de negociações no Parlamento para buscar um caminho para evitar um Brexit sem acordo.

MD/efe/rtr

Comentários

Leia Também