Cerca de 900 mil pessoas fugiram do noroeste da Síria nos últimos meses, diz ONU

Segundo Acnur, motivo é o arrefecimento do conflito na província de Idlib após a retomada do território por tropas de Damasco

A Agência das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) afirmou nesta quinta-feira (20/02) que mais de 900 mil pessoas fugiram de suas casas ou abrigos em Idlib, no noroeste da Síria, nos últimos meses.

Segundo o órgão, o principal motivo é a escalada do conflito na província após a retomada do território por tropas de Damasco.

A agência alerta que isso está agravando ainda mais a “já desastrosa situação humanitária” na região, que enfrenta um inverno rigoroso.  


FORTALEÇA O JORNALISMO INDEPENDENTE: ASSINE OPERA MUNDI


Em nota, o alto comissário das Nações Unidas para os Refugiados, Filippo Grandi, pediu ações urgentes para que as pessoas cercadas pelo conflito sejam levadas para locais de segurança.

Para Grandi, milhares de inocentes não podem arcar com o preço de uma comunidade internacional dividida. Segundo ele, a incapacidade de encontrar uma solução para essa crise será uma "mancha grave" na consciência internacional coletiva.

Flickr/Freedom House
Segundo Acnur, motivo é o arrefecimento do conflito na província de Idlib após a retomada do território por tropas de Damasco

A estimativa é que, atualmente, existem mais de 4 milhões de civis no noroeste da Síria. Mais da metade vive fora de suas casas.

Segundo a Acnur, muitos estão deslocados há anos e fugiram várias vezes por causa dos combates. Cerca de 80% dos recém-deslocados são mulheres e crianças e muitos idosos também estão em risco.

*Com ONUNews

Comentários