Achada mensagem em garrafa mais antiga do mundo

Família encontra em ilha do oeste da Austrália uma garrafa lançada de um navio alemão há 132 anos; mensagem fazia parte de experimento global sobre correntes oceânicas e rotas de transporte marítimo

Deutsche Welle

0

Deutsche Welle Deutsche WelleTodos os posts do autor

Um museu na Austrália apresentou nesta terça-feira (06/03) a mais antiga mensagem numa garrafa que se conhece no mundo. Ela foi lançada há 132 anos, por um navio alemão, e acabou encontrada numa remota praia do oeste australiano.

Uma família australiana descobriu a garrafa parcialmente enterrada na areia da pequena ilha Wedge, localizada cerca de 140 quilômetros ao norte de Perth. Dentro havia uma pedaço de papel enrolado.

"Estávamos caminhando pelas dunas quando vi algo para fora da areia. Então fui dar uma olhada mais de perto", disse Tonya Illman. "A nota estava úmida, enrolada firmemente e embrulhada com cordas. Levamos para casa e secamos, e quando a abrimos, vimos que era uma forma impressa, em alemão, com uma caligrafia alemã bastante desbotada."

A garrafa foi entregue para análise ao Museu da Austrália Ocidental, que coordenou os procedimentos com agências alemãs e holandesas para pesquisar sua história.

A mensagem, de remetente “Bark Ship Paula”, dizia: "Esta garrafa foi jogada ao mar em 12 de junho de 1886 a latitude sul de 32°49' e longitude 105° 25' ao oeste de Greenwich. Capitão: D [ilegível], na viagem de Cardiff a Macassar. Àquele que encontrar é solicitado que envie a nota na garrafa ao Observatório Naval alemão em Hamburgo ou o consulado mais próximo para o retorno à mesma agência depois de preencher as informações na parte de trás."

O Museu da Austrália Ocidental, juntamente com a Agência Federal Marítima e Hidrográfica (BSH) e o Serviço Meteorológico Nacional da República Federal da Alemanha (DWD), determinaram se tratar de uma mensagem genuína.

kymillman.com

Garrafa encontrada na Austrália foi uma das milhares lançadas ao mar durante experimento oceanográfico que durou 69 anos

"Incrivelmente, uma pesquisa de arquivo na Alemanha encontrou o diário meteorológico original do Paula e lá havia um registro datado em 12 de junho de 1886 feito pelo capitão, que citou uma garrafa à deriva que foi jogada ao mar. A data e as coordenadas correspondem exatamente às mensagens na garrafa", disse Ross Anderson, curador assistente do departamento de arqueologia marítima do Museu da Austrália Ocidental.

Autoridades alemãs relataram que a garrafa foi uma das milhares lançadas ao mar durante um experimento oceanográfico com duração de 69 anos para investigar as correntes oceânicas globais e descobrir rotas mais eficientes de transporte. Provavelmente, a garrafa alcançou a praia na qual foi encontrada entre seis e 12 meses depois de ter sido jogada ao mar.

Os experimentos foram conduzidos pelo cientista alemão Georg von Neumayer, que se tornou o primeiro diretor do Observatório Naval alemão em 1876 e foi uma figura líder na pesquisa de garrafas à deriva.

Seu experimento global forneceu dados valiosos sobre as principais correntes oceânicas. Cerca de 660 das mensagens foram devolvidas a Hamburgo (10%), mas nenhuma das garrafas originais. A última vez que uma das notas deste experimento foi encontrada foi, em 1934 na Dinamarca.

Os registros de arquivo revelaram que o navio que carregava a garrafa descoberta na Austrália provavelmente transportava carvão do País de Gales. A garrafa foi emprestada ao Museu da Austrália Ocidental por dois anos.

Comentários