Hoje na História: 1950 - FBI publica pela primeira vez a relação dos dez criminosos mais procurados

Medida facilitou a captura de diversas pessoas e conta com parceria com uma TV norte-americana

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

Max Altman (1937-2016), advogado e jornalista, foi titular da coluna Hoje na História da fundação do site, em 2008, até o final de 2014, tendo escrito a maior parte dos textos publicados na seção. Entre 2014 e 2016, escreveu séries especiais e manteve o blog Sueltos em Opera Mundi.

Atualizada em 12/03/2018 às 15:07


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Em 14 de março de 1950, o FBI (Federal Bureau of Investigation) institui a lista dos “Dez Fugitivos Mais Procurados”, em um esforço de tornar público os prófugos particularmente perigosos.

A criação desse programa nasceu de uma série radiofônica noticiosa de 1949, com ampla repercussão pública, a respeito dos “caras mais difíceis” de serem capturados pelo FBI. A história atraiu tamanha atenção que o ‘chefão’ do FBI, J. Edgar Hoover, concordou em divulgar a lista no ano seguinte.

Em 2011, dos 465 criminosos incluídos na lista e que foram capturados ou localizados, 153 o foram como resultado de denúncias do público.

A Divisão de Investigações Criminais (CID) do FBI normalmente pede aos 56 escritórios distribuídos pelo território norte-americano que apresentem os candidatos a serem incluídos na lista. A CID, em parceria com o Escritório de Negócios Públicos e Congressuais, propõe então os finalistas, cujo rol passa obrigatoriamente pela aprovação do Diretor-Geral do FBI.

Wikicommons

J. Edgar Hoover foi o chefe do FBI que autorizou a divulgação da lista dos dez criminosos mais procurados

Flórida aprova projeto de lei que restringe vendas de armas

Trump aceita convite de Kim Jong-un e deve encontrar líder norte-coreano em maio

Ex-combatente mata 3 em lar para veteranos de guerra nos EUA

 

Os critérios para a seleção são simples: o criminoso deve ter uma longa ficha criminal e condenações para serem cumpridas, o que faz dele ou dela um criminoso particularmente perigoso. E o FBI necessita acreditar que a publicidade decorrente da inclusão de determinado criminoso na lista contribuirá para a captura do prófugo.

Em geral, o único meio para um criminoso ser excluído da lista é a sua captura ou morte. Houve apenas um pequeno punhado de casos em que o fugitivo foi retirado da lista por não mais representar uma ameaça à sociedade. Por outro lado, somente oito mulheres apareceram, ao longo de todo esse tempo, no rol dos “Dez Mais Procurados”. Ruth Eisemann-Schier foi a primeira em 1968.

O FBI trabalha também estreitamente com o programa do canal de televisão Fox “Os Mais Procurados da América”, no sentido de tornar público e ampliar os esforços na captura de bandidos perigosos.

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Justiça da UE condena Alemanha por poluição da água

Tribunal de Justiça da União Europeia considera que Berlim não fez o suficiente para deter contaminação de águas subterrâneas por nitrato; índices continuam altos apesar de leis mais severas para fertilizantes agrícolas