Após três atentados em um só dia deixarem mais de 50 mortos, governo do Afeganistão eleva medidas de segurança

Entre mortos no ataque em Cabul, capital afegã, estão funcionários do parlamento, enquanto ataque em Kandahar vitimou cinco diplomatas dos Emirados Árabes e deixou ferido o embaixador árabe no país

O governo afegão decidiu nesta quarta-feira (11/01) em reunião extraordinária elevar as medidas de segurança em todo o país, após o duplo atentado desta terça-feira (10/01) em Cabul, com 38 mortos, que foi reivindicado pelo Talibã, e outro ataque no sul do país, que matou 12 pessoas, entre elas cinco diplomatas dos Emirados Árabes.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

"Foi ordenado a todos os órgãos que aumentem suas medidas de segurança e que todas as províncias do país estejam preparadas para impedir ataques terroristas utilizando todos os recursos disponíveis", disse em entrevista coletiva o porta-voz do Ministério do Interior, Sediq Sediqqi.

A decisão foi tomada durante uma reunião extraordinária de segurança liderada pelo presidente afegão, Ashraf Ghani, e convocada um dia após o atentado que vitimou cinco diplomatas emiradenses e quatro funcionários afegãos do alto escalão em Kandahar.

Agência Efe

Guardas fazem segurança do Parlamento afegão, onde ataque na terça-feira (10/01), reivindicado pelo Talibã, deixou 38 mortos

Uma delegação liderada pelo assessor de Segurança Nacional, Muhammad Hanif Atmar, já está na cidade para investigar o ataque, do qual também saiu ferido o embaixador dos Emirados Árabes Unidos em Cabul, Juma Mohammed Abdullah Al Kaabi.
 

1920: Primeira assembleia da Liga das Nações

Adlène Hicheur, físico deportado do Brasil, volta à Argélia após cinco meses de prisão domiciliar na França

O que Obama representou e o que realizou

 

Durante a reunião também foi decidido que a polícia deve aumentar seus postos de controle móveis e viaturas em Cabul, palco de outro grande ataque ontem pouco antes da explosão no complexo de escritórios do governador de Kandahar.

Sediqqi elevou para 38 o número de mortos no duplo atentado ocorrido nas imediações do parlamento afegão em Cabul e detalhou que 13 deles eram membros das forças de segurança, sem revelar a identidade dos outros 25.

A maioria dos feridos (86) são funcionários civis do parlamento, enquanto os 27 restantes trabalham para as agências de segurança, detalhou o porta-voz.

Além dos ataques em Cabul e Kandahar, na terça-feira aconteceu um terceiro atentado contra a casa de um líder comunitário local em Lashkargah, capital da província de Helmand (sul), que deixou sete mortos e oito feridos. 

PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

Diálogos do Sul

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Obama comuta pena de Chelsea Manning

Em 2013, ex-militar foi condenada a 35 anos de prisão por vazar informações confidenciais ao Wikileaks; presidente americano determina que informante seja libertada em maio

 

Mais Lidas