Israel se recusa a participar de Conferência de Paris para paz no Oriente Médio no próximo domingo

Com rejeição por parte de Israel, França excluiu israelenses e palestinos de evento; Abbas se reunirá com Hollande para apresentação de resultados da conferência

Israel se recusou a participar da Conferência de Paris sobre o Oriente Médio, que será realizada no próximo domingo (15/01), informou nesta quarta-feira (11/01) o porta-voz das Relações Exteriores israelense Emmanuel Nahshon.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

"Fazendo uma analogia culinária, nós não estamos na cozinha preparando o prato, mas estamos convidados a prová-lo. O prato em questão é nosso futuro e segurança, e quem está preparando são outros cozinheiros, com seus interesses e agendas, irrelevantes para nós", declarou o porta-voz, que considerou a conferência um "fútil exercício que não avançará em direção à paz".

A França, que espera 70 delegações internacionais para a reunião, decidiu excluir israelenses e palestinos, após a recusa de Israel, mas deixou o convite aberto a ambos para uma fase posterior.

Agência Efe

Primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu não participará de Conferência de Paris para paz no Oriente Médio

Procuradoria de Israel diz ter provas para investigar possíveis crimes de Netanyahu por corrupção

Soldado israelense que matou jovem palestino ferido e desarmado é condenado por homicídio

Governo palestino acusa Israel de remover 150 pessoas em 72 horas em Jerusalém Oriental e Cisjordânia

 

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e o presidente palestino, Mahmoud Abbas, foram convidados a participar de uma reunião com o presidente francês, François Hollande, para a apresentação das conclusões da conferência.

"Respondemos firme, mas amavelmente: Não, obrigado", declarou Nahshon.

Abbas, por sua vez, confirmou que irá a Paris e se reunirá com Hollande no domingo, após o término da conferência.

O encontro é visto como uma das últimas oportunidades para retomar a solução dos dois Estados, que segundo a comunidade internacional está se tornando inviável graças à política de assentamentos israelense.



Uma vez que você chegou até aqui...


…temos algo a sugerir. Cada vez mais gente lê Opera Mundi, mas a publicidade dos governos, com o golpe, foi praticamente zerada para a imprensa crítica, e a publicidade privada não tem sido igualmente fácil de conseguir, apesar de nossa audiência e credibilidade. Ao contrário dos sites da mídia hegemônica, nós não estamos usando barreiras que limitam a quantidade de matérias que podem ser lidas gratuitamente por mês. Queremos manter o jornalismo acessível a todos. Produzir um jornalismo crítico e independente custa caro e dá trabalho. Mas nós acreditamos que o esforço vale a pena, pois um jornalismo desse tipo é essencial num mundo que preza a democracia. E temos certeza de que você concorda com isso.


Torne-se um assinante solidário ou faça uma contribuição única.




(Este anúncio é diretamente inspirado numa solicitação feita pelo jornal britânico ‘The Guardian’. A imprensa independente de todo o mundo está buscando nesse tipo de apoio uma forma de existir e persistir.)


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

Diálogos do Sul

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Mais Lidas