Filósofo e crítico literário búlgaro Tzvetan Todorov morre em Paris, aos 77 anos

Autor de 'A conquista da América: a questão do outro', Todorov morreu nesta terça-feira (07/02) devido a complicações decorrentes de uma doença neurodegenerativa

O filósofo búlgaro Tzvetan Todorov morreu nesta terça-feira (07/02), aos 77 anos, em um hospital de Paris. Segundo sua família, Todorov “morreu rodeado de familiares e amigos por complicações decorrentes de uma doença neurodegenerativa”. Ele tinha acabado de finalizar seu último livro, “O triunfo do artista”, que será publicado em março.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Também linguista, sociólogo, historiador, crítico e teórico literário, Todorov nasceu em Sofia em 1º de Março de 1939. Em 1963, ele se muda para Paris, deixando a Bulgária sob o regime comunista. A França torna-se sua segunda casa: dez anos depois, adquire a nacionalidade francesa e destaca-se imediatamente no país de adoção como um dos mais brilhantes estudantes do crítico Roland Barthes.

Wikimedia Commons

Filósofo búlgaro radicado em Paris, Tzvetan Todorov morreu nesta terça-feira aos 77 anos

Atriz Debbie Reynolds morre um dia após a filha, Carrie Fisher

Morre aos 91 anos o filósofo polonês Zygmunt Bauman

 

Em 1970, ele escreve o que por muitos é considerada sua principal obra, “Introdução à literatura fantástica”, e colabora com o crítico Gérard Genette, com quem funda a revista de teoria e análise literária Poétique. Desde os anos 80, dedicou-se à história das idéias. Mais tarde, também trabalhou com temas do pensamento humanista e totalitarismo.

Entre seus livros mais famosos estão "A conquista da América: a questão do outro" e “Em face do extremo”. No Brasil, ele tem publicadas muitas obras, entre elas "A Gramática do Decameron" e "Os inimigos íntimos da democracia".

Em 2008, Todorov recebeu na Espanha o Prêmio Príncipe de Astúrias de Ciências Sociais como um referencial indiscutível do pensamento europeu contemporâneo.

 

(*) Com Agência Efe e ANSA



Uma vez que você chegou até aqui...


…temos algo a sugerir. Cada vez mais gente lê Opera Mundi, mas a publicidade dos governos, com o golpe, foi praticamente zerada para a imprensa crítica, e a publicidade privada não tem sido igualmente fácil de conseguir, apesar de nossa audiência e credibilidade. Ao contrário dos sites da mídia hegemônica, nós não estamos usando barreiras que limitam a quantidade de matérias que podem ser lidas gratuitamente por mês. Queremos manter o jornalismo acessível a todos. Produzir um jornalismo crítico e independente custa caro e dá trabalho. Mas nós acreditamos que o esforço vale a pena, pois um jornalismo desse tipo é essencial num mundo que preza a democracia. E temos certeza de que você concorda com isso.


Torne-se um assinante solidário ou faça uma contribuição única.




(Este anúncio é diretamente inspirado numa solicitação feita pelo jornal britânico ‘The Guardian’. A imprensa independente de todo o mundo está buscando nesse tipo de apoio uma forma de existir e persistir.)


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

Diálogos do Sul

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Milhares participam de Marcha pela Ciência

Protestos contra cortes na área científica propostos pela gestão Trump foram convocados em mais de 500 cidades; em Washington, cerca de 70 mil manifestantes se reúnem em frente à Casa Branca

 

À força, meu querer

Donald Trump e Kim Jong-un combinam guerra ao telefone: 'Duas ogivas de médio alcance. Assim acerta Tóquio, né?' 'Acho que devemos ter mais ousadia. Esse mundo tá muito chato. O Obama nem sabia fazer guerra direito. Coloca mais dois na Coreia, pode ser?'

 

Rafael Braga é condenado a 11 anos de prisão

Único condenado preso no contexto de junho de 2013, Braga estava em regime aberto com uso de tornozeleira quando foi preso por porte de 0,6 g de maconha, 9,3 g de cocaína e um rojão, que lhe foi atribuído pelos policiais que o prenderam

 

Mais Lidas