Filósofo e crítico literário búlgaro Tzvetan Todorov morre em Paris, aos 77 anos

Autor de 'A conquista da América: a questão do outro', Todorov morreu nesta terça-feira (07/02) devido a complicações decorrentes de uma doença neurodegenerativa

O filósofo búlgaro Tzvetan Todorov morreu nesta terça-feira (07/02), aos 77 anos, em um hospital de Paris. Segundo sua família, Todorov “morreu rodeado de familiares e amigos por complicações decorrentes de uma doença neurodegenerativa”. Ele tinha acabado de finalizar seu último livro, “O triunfo do artista”, que será publicado em março.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Também linguista, sociólogo, historiador, crítico e teórico literário, Todorov nasceu em Sofia em 1º de Março de 1939. Em 1963, ele se muda para Paris, deixando a Bulgária sob o regime comunista. A França torna-se sua segunda casa: dez anos depois, adquire a nacionalidade francesa e destaca-se imediatamente no país de adoção como um dos mais brilhantes estudantes do crítico Roland Barthes.

Wikimedia Commons

Filósofo búlgaro radicado em Paris, Tzvetan Todorov morreu nesta terça-feira aos 77 anos

Atriz Debbie Reynolds morre um dia após a filha, Carrie Fisher

Morre aos 91 anos o filósofo polonês Zygmunt Bauman

 

Em 1970, ele escreve o que por muitos é considerada sua principal obra, “Introdução à literatura fantástica”, e colabora com o crítico Gérard Genette, com quem funda a revista de teoria e análise literária Poétique. Desde os anos 80, dedicou-se à história das idéias. Mais tarde, também trabalhou com temas do pensamento humanista e totalitarismo.

Entre seus livros mais famosos estão "A conquista da América: a questão do outro" e “Em face do extremo”. No Brasil, ele tem publicadas muitas obras, entre elas "A Gramática do Decameron" e "Os inimigos íntimos da democracia".

Em 2008, Todorov recebeu na Espanha o Prêmio Príncipe de Astúrias de Ciências Sociais como um referencial indiscutível do pensamento europeu contemporâneo.

 

(*) Com Agência Efe e ANSA



Uma vez que você chegou até aqui...


…temos algo a sugerir. Cada vez mais gente lê Opera Mundi, mas a publicidade dos governos, com o golpe, foi praticamente zerada para a imprensa crítica, e a publicidade privada não tem sido igualmente fácil de conseguir, apesar de nossa audiência e credibilidade. Ao contrário dos sites da mídia hegemônica, nós não estamos usando barreiras que limitam a quantidade de matérias que podem ser lidas gratuitamente por mês. Queremos manter o jornalismo acessível a todos. Produzir um jornalismo crítico e independente custa caro e dá trabalho. Mas nós acreditamos que o esforço vale a pena, pois um jornalismo desse tipo é essencial num mundo que preza a democracia. E temos certeza de que você concorda com isso.


Torne-se um assinante solidário ou faça uma contribuição única.




(Este anúncio é diretamente inspirado numa solicitação feita pelo jornal britânico ‘The Guardian’. A imprensa independente de todo o mundo está buscando nesse tipo de apoio uma forma de existir e persistir.)


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

Diálogos do Sul

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Mais Lidas