União Europeia cria primeiro comando militar unificado do bloco

Batizado de MPCC, comando será formado por cerca de 30 pessoas e terá seu quartel-general em Bruxelas, de onde serão coordenadas as operações

A União Europeia criou o primeiro comando militar unificado do bloco. Batizado de MPCC (Military Planning and Conduct Capability), o comando cuidará de missões militares "não executivas", como as que ocorrem atualmente no Mali e na Somália, e já começará a operar nas próximas semanas.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

De acordo com a alta representante de política externa da União Europeia, Federica Mogherini, o comando será formado por cerca de 30 pessoas e terá seu quartel-general em Bruxelas, de onde serão coordenadas as operações.

O acordo foi alcançado nesta segunda-feira (06/03) por ministros da Defesa e das Relações Exteriores da União Europeia. "Tenho o orgulho de dizer que, há seis meses, começamos a trabalhar para reforçar o trabalho pela segurança e pela defesa, e hoje decidimos, por unanimidade dos 28 membros, a primeira decisão operativa em uma das áreas que tradicionalmente, desde os anos 1950, é onde há mais discordância", disse Mogherini.

A Itália, Alemanha, França e Espanha são favoráveis a um avanço comum na área militar na UE, mas outros países do bloco têm rejeição a este projeto.

Agência Efe

Federica Mogherini, alta representante de política externa da União Europeia; bloco criou seu primeiro comando militar unificado nesta segunda-feira (06/03)

Provedora de Justiça da UE abre inquérito contra Comissão Europeia sobre ida de Durão Barroso a Goldman Sachs

Parlamento Europeu pede que UE volte a exigir vistos de norte-americanos

Organizações de direitos humanos criticam decreto que impede distribuição de comida para refugiados em Calais

 


Uma vez que você chegou até aqui...


…temos algo a sugerir. Cada vez mais gente lê Opera Mundi, mas a publicidade dos governos, com o golpe, foi praticamente zerada para a imprensa crítica, e a publicidade privada não tem sido igualmente fácil de conseguir, apesar de nossa audiência e credibilidade. Ao contrário dos sites da mídia hegemônica, nós não estamos usando barreiras que limitam a quantidade de matérias que podem ser lidas gratuitamente por mês. Queremos manter o jornalismo acessível a todos. Produzir um jornalismo crítico e independente custa caro e dá trabalho. Mas nós acreditamos que o esforço vale a pena, pois um jornalismo desse tipo é essencial num mundo que preza a democracia. E temos certeza de que você concorda com isso.


Torne-se um assinante solidário ou faça uma contribuição única.




(Este anúncio é diretamente inspirado numa solicitação feita pelo jornal britânico ‘The Guardian’. A imprensa independente de todo o mundo está buscando nesse tipo de apoio uma forma de existir e persistir.)


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

Diálogos do Sul

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Mais Lidas