Venezuela critica declarações 'insolentes' de novo chanceler brasileiro Aloysio Nunes

Delcy Rodríguez classificou como 'repudiável e desprezível' afirmações de novo ministro das Relações Exteriores do Brasil, que considera Venezuela uma ditadura

A ministra das Relações Exteriores da Venezuela, Delcy Rodríguez, criticou neste sábado (11/03) as declarações do chanceler Aloysio Nunes sobre a Venezuela. O brasileiro disse após sua posse, na última terça-feira (07/03), que o governo de Nicolás Maduro se transformou "em uma ditadura".


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

"A República Bolivariana da Venezuela rejeita as declarações insolentes do chanceler de fato do Brasil", escreveu Rodríguez em seu perfil no Twitter, fazendo referência ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

 “É repudiável e desprezível que um funcionário da ditadura do Brasil pretenda emitir juízo sobre a vigorosa democracia venezuelana", acrescentou a chanceler.

AVN

Chanceler venezuelana Delcy Rodríguez criticou declarações de Aloysio Nunes

'Trump é o partido Republicano de porre', afirmou Aloysio Nunes, novo chanceler, após vitória de magnata nos EUA

Venezuelanos homenageiam Hugo Chávez em quarto aniversário de morte de líder revolucionário

Venezuela vence ExxonMobil em demanda contra nacionalização de hidrocarbonetos

 

Rodríguez também afirmou que Aloysio Nunes, que tomou posse como chanceler após a renúncia do ex-ministro José Serra por motivos de saúde, “traiu o povo do Brasil e e se colocou a serviço das oligarquias golpistas e corruptas que se lançam contra o povo”, referindo-se à militância de esquerda durante a juventude do chanceler, que hoje é afiliado ao PSDB.

Em entrevista após sua posse no dia 7 de março, Aloysio Nunes afirmou que manteria a “linha crítica em relação ao governo de Nicolás Maduro”, presidente da Venezuela, cuja legitimidade questionou, afirmando que o governo teria se transformado “em uma ditadura”. O chanceler brasileiro disse ainda que a chanceler Rodríguez "não tem muita importância nem mesmo em seu país", onde "o importante são os carcereiros".

Rodríguez respondeu dizendo que o novo chanceler “começou com o pé esquerdo” ao atacar a Venezuela. “Esta não é a diplomacia que os povos necessitam”, afirmou.



Uma vez que você chegou até aqui...


…temos algo a sugerir. Cada vez mais gente lê Opera Mundi, mas a publicidade dos governos, com o golpe, foi praticamente zerada para a imprensa crítica, e a publicidade privada não tem sido igualmente fácil de conseguir, apesar de nossa audiência e credibilidade. Ao contrário dos sites da mídia hegemônica, nós não estamos usando barreiras que limitam a quantidade de matérias que podem ser lidas gratuitamente por mês. Queremos manter o jornalismo acessível a todos. Produzir um jornalismo crítico e independente custa caro e dá trabalho. Mas nós acreditamos que o esforço vale a pena, pois um jornalismo desse tipo é essencial num mundo que preza a democracia. E temos certeza de que você concorda com isso.


Torne-se um assinante solidário ou faça uma contribuição única.




(Este anúncio é diretamente inspirado numa solicitação feita pelo jornal britânico ‘The Guardian’. A imprensa independente de todo o mundo está buscando nesse tipo de apoio uma forma de existir e persistir.)


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

Diálogos do Sul

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Milhares participam de Marcha pela Ciência

Protestos contra cortes na área científica propostos pela gestão Trump foram convocados em mais de 500 cidades; em Washington, cerca de 70 mil manifestantes se reúnem em frente à Casa Branca

 

À força, meu querer

Donald Trump e Kim Jong-un combinam guerra ao telefone: 'Duas ogivas de médio alcance. Assim acerta Tóquio, né?' 'Acho que devemos ter mais ousadia. Esse mundo tá muito chato. O Obama nem sabia fazer guerra direito. Coloca mais dois na Coreia, pode ser?'

 

Rafael Braga é condenado a 11 anos de prisão

Único condenado preso no contexto de junho de 2013, Braga estava em regime aberto com uso de tornozeleira quando foi preso por porte de 0,6 g de maconha, 9,3 g de cocaína e um rojão, que lhe foi atribuído pelos policiais que o prenderam

 

Mais Lidas