Túmulo restaurado de Jesus Cristo será inaugurado nesta quarta-feira em Jerusalém

Localizado na Igreja do Santo Sepulcro, túmulo onde Jesus teria sido enterrado após crucificação passou por nove meses de reforma, que custou seis milhões de euros

O túmulo restaurado onde teria sido enterrado o corpo de Jesus Cristo após sua crucificação será inaugurado oficialmente nesta quarta-feira (22/03) em uma cerimônia na Igreja do Santo Sepulcro em Jerusalém, após nove meses de reformas que custaram 6 milhões de euros. O anúncio foi feito pelos responsáveis pela restauração nesta segunda-feira (20/03).


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

"Agora é possível ver a cor e a textura, as inscrições, os afrescos", disse a restauradora Antonia Moropoulou junto à estrutura centenária. A tradição cristã considera que ali ocorreu o enterro e a ressurreição de Jesus.

As lâminas de mármore da armação foram limpas e sua estabilidade foi reforçada, lajes danificadas foram substituídas, fissuras foram cobertas com cola e suportes foram reforçados para um "monumento que durará para sempre", segundo a chefe grega da restauração.

“Se a intervenção não tivesse acontecido logo, havia o risco grande de que a estrutura desmoronasse”, disse à agência de notícias AP Bonnie Burnham, do Fundo de Monumentos Mundiais, que supervisionou o projeto.

Reprodução / The Guardian

Segundo a tradição cristã, restos mortais de Jesus Cristo estão neste túmulo em Jerusalém

A restauração foi realizada por uma equipe de mais de 50 especialistas da Universidade Técnica Nacional de Atenas que havia trabalhado anteriormente nas restaurações da Acrópole grega e da Basílica de Santa Sofia, em Istambul, na Turquia.

'Redwashing': discursos de 'esquerda' para limpar os crimes do Estado de Israel

Vítima de abuso abandona comissão antipedofilia do papa e critica falta de cooperação de setores da igreja

Nações islâmicas denunciam 'institucionalização de islamofobia' com ascensão de extrema-direita no mundo

 

Os restauradores trabalham principalmente à noite, para que turistas e peregrinos pudessem continuar visitando o monumento. O templo do Santo Sepulcro só foi fechado ao público por 36 horas, quando foi retirada a lápide que cobria a cova original de Jesus Cristo, um feito que não acontecia há cinco séculos.

No final de fevereiro, os andaimes colocados pelos britânicos em 1947 foram removidos e as lonas e tapumes que cercam a Edícula seriam retirados antes da apresentação oficial nesta quarta-feira.

Reprodução / The Guardian

Segundo a tradição cristã, restos mortais de Jesus Cristo estão neste túmulo em Jerusalém

No alto da cúpula reluz uma cruz greco-ortodoxa, que não estava antes da restauração e que, segundo o franciscano e arqueólogo Eugenio Alliata, poderia pertencer ao projeto original da Edícula.

Com um orçamento inicial de 3 milhões de euros, a equipe restauradora contou com um financiamento total de 6 milhões, 80% por doações vindas do exterior, declarou Burnham à Agência Efe.

Moropoulou se mostrou satisfeita com os trabalhos e pede agora à comunidade cristã "que o mantenha".

israeltourism / Flickr CC

Igreja do Santo Sepulcro fica em Jerusalém

Também foi de grande complexidade drenar a água e os resíduos subterrâneos acumulados nos alicerces que estavam deteriorando o esqueleto da Edícula, um trabalho que teria que continuar para evitar uma deterioração no futuro.

No mês passado, a chefe da restauração entregou aos três Custódios – o greco-ortodoxo, o armênio apostólico e o católico romano – o projeto de "estabilização de alicerces" que estes ainda estão estudando.

As obras foram possíveis graças ao acordo das três igrejas e Moropoulou espera que esta reforma inaugure uma "nova era para a Terra Santa, uma era de comunicação".

 

*Com Agência Efe



Uma vez que você chegou até aqui...


…temos algo a sugerir. Cada vez mais gente lê Opera Mundi, mas a publicidade dos governos, com o golpe, foi praticamente zerada para a imprensa crítica, e a publicidade privada não tem sido igualmente fácil de conseguir, apesar de nossa audiência e credibilidade. Ao contrário dos sites da mídia hegemônica, nós não estamos usando barreiras que limitam a quantidade de matérias que podem ser lidas gratuitamente por mês. Queremos manter o jornalismo acessível a todos. Produzir um jornalismo crítico e independente custa caro e dá trabalho. Mas nós acreditamos que o esforço vale a pena, pois um jornalismo desse tipo é essencial num mundo que preza a democracia. E temos certeza de que você concorda com isso.


Torne-se um assinante solidário ou faça uma contribuição única.




(Este anúncio é diretamente inspirado numa solicitação feita pelo jornal britânico ‘The Guardian’. A imprensa independente de todo o mundo está buscando nesse tipo de apoio uma forma de existir e persistir.)


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

Diálogos do Sul

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Mais Lidas