Arábia Saudita decide reabrir portos e aeroportos que mantém sob controle no Iêmen

Aliança encabeçada por Riad anunciou que reabrirá nas próximas 24 horas todos os portos em áreas controladas no país

A Arábia Saudita comunicou nesta segunda-feira (13/11) que irá reabrir nas próximas 24 horas todos os portos que mantém sob seu controle e que estejam em território dominado pelo governo do Iêmen, informou o escritório de representação saudita para a Organização das Nações Unidas (ONU).


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

A coalizão liderada pela Arábia Saudita anunciou que primeiro irá restituir os serviços em todos os portos que estejam em regiões sob controle das forças leais ao ex-presidente Abdu Rabu Mansur. São esses os postos de Adén, Mocha e Mukalla.

“O primeiro passo deste processo será tomado dentro de 24 horas e incluirá reabrir todos os portos que estão em zonas controladas” por parte de grupos fies a Mansur Hadi, segundo o comunicado difundido pela representação saudita na ONU.

A Arábia Saudita e seus aliados iniciaram em março de 2015 uma guerra que já deixou mais de 33.394 mortos e milhares de feridos. O governo da Arábia Saudita, junto à coalizão, bloqueou os terminais marítimos, aéreos e terrestres do Iêmen, o que piorou ainda mais a crise humanitária que o país vive.

Foto: Richard Messenger/Flickr

Aliança encabeçada por Riad anunciou que reabrirá nas próximas 24 horas todos os portos em áreas controladas no país 

ONU e União Européia se pronunciam sobre ataque com caminhão-bomba na Somália

ONU aprova nova resolução pedindo fim do bloqueio econômico dos Estados Unidos a Cuba

ONU alerta para 'maior fome' das últimas décadas no Iêmen

 

Crise humanitária

O envio de ajuda humanitária ao Iêmen havia sido interrompido no início da semana passada após portos, aeroportos e estradas terem sido bloqueados pela coalizão de países sunitas liderada pela Arábia Saudita, que desde 2015 está em combate com grupos houthis.

A ONU exigiu na última segunda feira (08/11) “acesso imediato” aos portos marítimos e aeroportos do Iêmen para que o país pudesse receber combustíveis, alimentos e recursos para auxiliar a população atingida pela guerra. A entidade também pediu a garantia de que novos portos não seriam bloqueados.

O Iêmen tem enfrentado a maior crise humanitária de sua história. Estima-se que 7 milhões de pessoas estejam à beira da fome, que também enfrenta um surto de cólera. O conflito armado se acentuou no país nos últimos dois anos, tendo como principais vítimas civis e crianças. 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

Promoção 100 livros para os 100 anos da Revolução

Promoção 100 livros para os 100 anos da Revolução

Inspirada pela Revolução Russa, a Alameda Casa Editorial fez uma seleção de 100 livros com desconto de 20% e frete grátis. São livros que tratam da sociedade capitalista, do mercado de trabalho, do racismo, do pensamento marxista, das grandes depressões econômicas, enfim: do pensamento social que, direta ou indiretamente, foi influenciado pela revolução dos trabalhadores de 1917. Aproveite.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias

Mugabe reaparece em público após intervenção militar

Oficialmente em prisão domiciliar, presidente do Zimbábue é visto em público pela primeira vez desde que Forças Armadas assumiram o controle do país; sua saída do poder, após quase quatro décadas, ainda é incerta.