Primeiro-ministro promete voltar ao Líbano em '2 dias'

Renúncia de Hariri deflagrou crise envolvendo Arábia Saudita e Irã; premier anunciou por meio de sua conta no twitter que voltará a seu país nos próximos dias

O primeiro-ministro demissionário do Líbano, Saad Hariri, prometeu nesta terça-feira (14/11) voltar a seu país "nos próximos dois dias".


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Em uma mensagem postada em sua conta no Twitter, Hariri, que está na Arábia Saudita desde sua repentina renúncia, em 4 de novembro, também afirmou que está "bem". Sua família permanecerá em Riad.

A demissão de Hariri, negada pelo presidente Michel Aoun, deflagrou uma nova crise no Oriente Médio envolvendo as duas maiores potências muçulmanas da região, a sunita Arábia Saudita e o xiita Irã.

Wikimédia Commons

Premier anunciou por meio de sua conta no twitter que voltará a seu país nos próximos dias

Hezbollah diz que sauditas declararam guerra contra Líbano ao 'interferir' na política do país

Terremoto mata centenas na fronteira entre Irã e Iraque

Arábia Saudita decide reabrir portos e aeroportos que mantém sob controle no Iêmen

 

O primeiro-ministro chefia um gabinete de união nacional que inclui o Hezbollah, principal força política libanesa e apoiado pelo governo iraniano. As autoridades do Líbano e o grupo xiita acusam Riad de forçar o sunita Hariri a renunciar para desestabilizar o país e de mantê-lo como refém.

 O premier, que tem nacionalidade saudita e laços profundos com a monarquia, nega a acusação e diz ser alvo de ameaças de morte. Tanto ele quanto a Arábia Saudita se opõem à participação do Hezbollah na guerra civil na Síria, onde o grupo e o Irã lutam ao lado do regime de Bashar al Assad.

Teerã e Riad também estão em lados opostos no conflito no Iêmen, com a primeira apoiando rebeldes xiitas houthis e a segunda defendendo o governo sunita do país.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

Promoção 100 livros para os 100 anos da Revolução

Promoção 100 livros para os 100 anos da Revolução

Inspirada pela Revolução Russa, a Alameda Casa Editorial fez uma seleção de 100 livros com desconto de 20% e frete grátis. São livros que tratam da sociedade capitalista, do mercado de trabalho, do racismo, do pensamento marxista, das grandes depressões econômicas, enfim: do pensamento social que, direta ou indiretamente, foi influenciado pela revolução dos trabalhadores de 1917. Aproveite.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias

Mugabe reaparece em público após intervenção militar

Oficialmente em prisão domiciliar, presidente do Zimbábue é visto em público pela primeira vez desde que Forças Armadas assumiram o controle do país; sua saída do poder, após quase quatro décadas, ainda é incerta.