EUA: Alabama elege senador democrata pela primeira vez em 25 anos

Derrota de juiz Roy Moore traz problema para Trump no Senado: maioria republicana chegou ao limite, com 51 em 100 representantes

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

Em uma expressiva derrota para o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o democrata Doug Jones venceu o candidato republicano para o Senado no Alabama, o polêmico juiz Roy Moore, na noite desta terça-feira (12/11).


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Na primeira vitória de um democrata no estado em 25 anos, Jones obteve 49,9% contra 48,4% dos votos, segundo a imprensa norte-americana. Em números, a diferença de votos ficou em mais de 20 mil.

Apesar de Moore questionar o resultado, pedindo a recontagem dos votos, o próprio Trump reconheceu a derrota através de sua conta no Twitter. A recontagem é permitida apenas em casos em que a diferença fique em 0,5%.

"Parabéns para Doug Jones em uma difícil e dura vitória. Os votos escritos foram um grande fator, mas uma vitória é uma vitória. As pessoas do Alabama são ótimas, e os Republicanos vão ter outra chance para esse assento em um curto período de tempo. Isso nunca termina", escreveu o mandatário.

A referência aos "votos escritos" se atém ao fato de que muitos republicanos não votaram em nenhum dos dois candidatos oficiais dos partidos, mas sim, optaram por escrever um terceiro nome no pleito.

A derrota de Moore também traz outro problema para Trump no Senado: a maioria republicana chegou ao limite, com 51 em 100 representantes, o que pode causar mais problemas para o presidente aprovar projetos importantes de sua agenda.

EUA: Pentágono confirma entrada de pessoas transgênero no Exército a partir de janeiro de 2018

Trump quer enviar astronautas americanos à Lua e a Marte

Estados Unidos: Mais de 50 deputadas pedem inquérito contra Trump por assédio sexual

 

Flickr/Doug Jones

Jones derrotou Roy Moore, acusado de abuso sexual de menores

Do lado vitorioso, Jones afirmou que o "povo do Alabama tem mais em comum do que aquilo que o divide".

"Nós mostramos que não apenas ao Alabama, mas ao país, que podemos ser unidos. O arco do universo moral é longo, mas tende para a justiça", disse ainda o democrata citando Martin Luther King Jr.

A inesperada vitória dos democratas começou a se desenhar após Moore, um polêmico juiz cristão que já foi destituído por duas vezes da Corte Suprema do Alabama, foi acusado de uma série de abusos sexuais de menores nas décadas de 1970 e 1980.

Uma das vítimas tinha apenas 12 anos na época dos fatos, que sempre foram negados pelo juiz conservador. Por conta da denúncia, o próprio Trump entrou em campo para defender o candidato, que também não era seu favorito durante as primárias no Alabama.

No entanto, por conta do histórico duvidoso do juiz de 70 anos, o reduto republicano rachou no estado, chegando a existir um pedido de renúncia por parte de líderes locais para Moore.

A votação no estado ocorreu após a indicação do então senador Jeff Sessions para o cargo de procurador-geral do governo do magnata. Agora, é possível que a derrota de Trump no Alabama seja um sinal de alerta para as eleições de novembro de 2018, que renovará parte do Senado e da Câmara dos Representantes. 

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

'Não podemos mais confiar na Casa Branca'

Ministro do Exterior da Alemanha reage às declarações de Trump, que descreveu a UE como um 'inimigo' dos EUA no comércio. Heiko Maas convoca uma Europa 'unida e soberana' para preservar a parceria com Washington