Colômbia suspende negociações de paz com ELN

Deutsche Welle
Governo colombiano e o ELN começaram a dialogar em 2014, mas a fase pública de negociações para a paz só teve início há cerca de um ano, após meses de adiamentos

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, anunciou nesta segunda-feira (29/01) que decidiu suspender as negociações de paz com o Exército de Libertação Nacional (ELN), depois de o grupo ter assumido a autoria de um ataque contra forças policiais colombianas no norte do país.

"Tomei a decisão de suspender o início do quinto ciclo de negociações que estava previsto para os próximos dias até que haja coerência entre as palavras do ELN e suas ações", disse o presidente em um evento na cidade de Palma. "Minha paciência e a do povo colombiano têm limites."

Santos acrescentou que os diálogos somente serão retomados quando a guerrilha der provas "à sociedade colombiana e à comunidade internacional de sua vontade de atingir um acordo".

O grupo armado reivindicou a autoria de um atentado que matou, no sábado passado, cinco policiais e feriu mais de 40 pessoas em uma delegacia de polícia na cidade portuária de Barranquilla.

ONU começa verificar cessar-fogo entre governo da Colômbia e ELN

Após protesto da Venezuela, Colômbia entrega 50 t de carne suína retida

Agora partido, Farc lança primeira campanha eleitoral na Colômbia

 

picture-alliance/dpa/EFE/C. Escobar Mora

Desde o acordo de paz entre o governo e as Farc, o ELN é o maior grupo armado em atividade na Colômbia

O incidente coincidiu com outros dois ataques ocorridos no país no mesmo fim de semana, também deixando mortos e feridos. Autoridades acreditam que o ELN esteja por trás dos três atentados, embora o grupo tenha assumido a autoria apenas do mais violento.

O governo colombiano e o ELN começaram a dialogar em 2014, mas a fase pública de negociações para a paz só teve início há cerca de um ano, após meses de adiamentos. Em setembro do ano passado, os dois lados chegaram a um acordo de cessar-fogo bilateral, que expirou em janeiro.

A quinta rodada de negociações deveria começar em Quito, no Equador, nesta semana. Seu início, previsto anteriormente para 10 de janeiro, já havia sido adiado por conta de outros ataques, também atribuídos ao ELN, contra forças de segurança colombianas e infraestruturas petrolíferas.

Desde a ratificação do acordo de paz entre o governo em Bogotá e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), em 2016, o ELN é o maior grupo armado em atividade na Colômbia, com cerca de 1.800 guerrilheiros.

EK/afp/dpa/lusa/efe

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Escravidão e Liberdade

Escravidão e Liberdade

A editora Alameda traz uma seleção especial de livros escravidão, abolição do trabalho escravo e sobre cultura negra. Conheça o trabalho de pesquisadores que se dedicaram profundamente a esses temas, centrais para o debate da questão racial e da história do Brasil. 

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Irlandeses votam a favor da legalização do aborto

Maioria significativa respondeu com 'sim' em referendo sobre reforma da atual legislação do aborto na Irlanda, uma das mais restritivas da Europa; autoridades governamentais saúdam vitória da democracia em dia histórico

 

Philip Roth: um escritor aberto ao outro

Aos poucos, a geração de escritores que me formou e que foi decisiva na minha opção por estudar a literatura contemporânea vai terminando; e eu vou ficando cada vez menos contemporâneo

 

Santos anuncia ingresso da Colômbia na OTAN

O presidente e prêmio Nobel da Paz, J. Manuel Santos, escolheu ingressar na historicamente belicista OTAN na mesma semana em que se inicia a etapa final do processo eleitoral colombiano